terça-feira, 29 de setembro de 2009

Os Outros



"... A minha vida continua

Mas é certo que eu seria sempre sua

Quem pode entender?

Depois de você,

Os outros são os outros

E só."


(Leoni)

Paty...


"Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-las a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.


Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo, nem culpa de sentir prazer. Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida, a nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.


Tempo de entusiasmo e coragem em que todo o desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso.


Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa."



Que tenhas toda, mas toda a felicidade do mundo. Tu mereces. Obrigada por toda a amizade, os conselhos, o carinho, as conversas, as risadas, as broncas, os filmes, as jantas, as festas. Obrigada por ter sempre o sorriso estampado e os braços abertos. Obrigada mesmo a Deus, por ter te enviado para o meu caminho. Que hoje marque o início de um ano ainda mais feliz do que o que passou, que tua vida se encha cada vez mais de flores e o teu caminho de pessoas especiais, assim como tu. Desejo que tenhas força e coragem para alcançar os teus objetivos, e tranquilidade para admirar os frutos das tuas conquistas. Que venham muitos presentes, mas não somente os materiais, que sejam também presentes de amor e de felicidade. Te desejo todas as coisas boas do mundo, do fundo do meu coração. Parabéns por mais esse ano de vida, e que venham muitos e que possamos sempre comemorá-los juntas, com champagne, dança e muita festa. Te amo muito! Parabéns!


P.S.- e deixa de bobagem, tu não tá velha nada! ;)

Não vou me adaptar


Eu já não caibo nas roupas que eu cabia.
Já não encho mais a casa de alegria.
Os anos se passaram enquanto eu dormia e quem eu queria bem me esquecia.
Será que eu falei o que ninguém ouvia?
Será que eu escutei o que ninguém me dizia?
Eu não vou me adaptar!
Eu não tenho mais a cara que eu tinha.
No espelho, essa cara não é minha.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Pressa


Aonde você vai com tanta pressa, hein?

Hoje eu vim falar de pressa, sim. A pressa, essa mesma que faz você não querer ler esse texto, com medo que ele seja ruim e, assim, tenha perdido o seu tempo. A mesma pressa que temos para ouvir "TE AMO", para ouvir o nome no listão, para ficar rico, para arrumar namorado, para chegar no final do livro, para entender as pessoas e a nós mesmos, para mudar o mundo, para que o dia acabe. A pressa se torna altamente variável, vem em forma de ansiedade, de stress, de irritablididade. Sim, tem forma e cheiro. Forma de nuvem que anuncia a tempestade e cheiro do gosto amargo que se instala em nossa boca, dando um péssimo hálito. "A pressa é inimiga da perfeição", já dizia minha vózinha querida. Mas sabe o que eu acho? A pressa é inimiga de muito, mas muito mais que isso.

Deixamos de aproveitar o momento presente porque temos pressa que o amanhã chegue. Já que o dia de hoje e seus benefícios não são suficiencientes para alimentar nosso ego, responder às nossas expectativas e nos dar tudo que sonhamos. Esquecemos que o caminho que percorremos é longo e que ele também pode ser de muito proveito e agradabilíssimo. Ficamos esperando pelo fim, e geralmente, quando o fim chega, esperávamos mais. E aí vem a nostalgia: "eu era feliz e não sabia", "lembra daquele tempo?". Ah! Essa pressa danada. Nos tornamos afobados, exagerados, esquecidos de esquecer que temos todo o tempo do mundo!!!
O importante é respeitarmos a ordem natural dos fatos. Cada momento tem a sua hora certa de acontecer. E não adianta nada nos apressarmos, só vamos perder de percebermos os sinais certos, o momento de dizer "prazer", de dizer "vamos ao cinema?" e de dizer, enfim, "te amo". O momento de dizer "é isso que eu quero" ou "é isso que eu não quero". Ansiamos pela resposta da mensagem agora, que o telefone toque, que ele se apaixone a primeira vista, que se renda após o primeiro beijo, que nos jure família e casa na praia. Nossa agenda está programada para a vida inteira, mas será que a dele também está? E será que o nosso coração vai seguir os planos tramados pela nossa cabeça? Manter a calma não significa deixar de se importar, de não ligar para o frio na barriga, ou para a adrenalina na hora de resolvermos algo. É só um espaço aberto para que a paciência se encaixe e deixe as nossas costas mais leves, sem aquele peso do mundo para carregar. Porque quando o final chegar, com certeza, você não vai estar com pressa para que acabe.

Com toda essa pressa que acelera momentos, paixões, compromissos e decisões, acabamos com um coração engessado, com pinos e osteosporose de tanto cair e quebrar. Melhor mantermos a calma, deixarmos de atirar para todos os lados, porque uma hora dessas, o tiro pode nos acertar em cheio e ser fatal.

domingo, 27 de setembro de 2009

Me Irrita


Mau hálito me irrita. Mania de perseguição me irrita. Música falhada me irrita. Reggae, camarão, cheiro de vinagre, gente burra. Tudo isso me irrita. Eu me irrito fácil, só aprendi a me controlar. Pra manter a civilidade, ou pelo menos disfarçar o ogro que habita em mim. Queria eu ser Sofia que, no auge dos seus 3 anos, mordia os coleguinhas que a irritavam. Irritou? Morde. Pra ela a equação era simples.

Mas a minha professora de sociologia me irrita, minha colega que parece o brinquedo assassino me irrita, gente imbecil me irrita. De imbecil eu me basto. A mongolona que me joga bolinha de papel na aula me irrita horrores, e nem se foder eu a mando. Devia ter mandado quando tive a oportunidade, droga... vai que ela resolve parar logo agora com essa brincadeira idiota. Tem uma gorda que me irrita tanto, mas tanto.. A presença dela me incomoda, mesmo que ela não faça absolutamente nada. Gorda idiota. A família Sarney, o Latino e o Paulinho Vilhena me irritam. E, infelizmente, eu não posso morder essas criaturas, por mais que minha mandíbula implore por esse prazer e eles mereçam uma dentada.

O jeito é dar um jeito. Ignorar. Porque eu sou uma velha, nasci com espírito de velha e a tendência é piorar. Paciência. Perfume exagerado também me irrita, meu olfato é aguçado, portanto um perfume forte acaba com ele. Quem mexe nas minhas coisas me irrita. No fim das contas, me irritava com tanto que não me irrito com nada. Acho que aprendi a me controlar, acho que sempre me controlei.

Ninguém me vê explodir, ninguém me vê xingar, apesar de eu não ser simpática, eu também não incomodo. Não peço favores, não te ligo, não digo na tua cara que tu és uma anta nem te mando a puta que pariu, por mais que mereças. Estou começando a repensar o meu sonho da diplomacia, realmente isso não me parece adequado. Não ia ficar legal eu me irritando com o presidente de algum país. Estou escrevendo calmamente esse texto, enquanto toca um Bob Marley. Me irrita sim, mas fazer o quê. Aprendi a não prestar atenção. Fala o que quer, faz o que quer, tô nem aí. Eu já me desliguei.
Nem tudo é como a gente quer. E ainda bem que isso não me irrita.


P.S.- e com mais uma bolinha que aquela infeliz me atirar, ela vai ver toda minha diplomacia indo pro ralo.

Aprofundar

Eu já enxergo, eu já vejo aquele abano que ficou no ar
Mas como querer também acenar
Eu quero assinar, matrimônio e profissão
O tempo que ainda tenho, é só o que tenho
Além dos sonhos e do que ainda não sonhei
Um violão, uma rosa que um dia já viveu
Me faz recordar daquilo que não morreu
Mas que já esqueci e esqueci de esquecer
Porque tanto tempo faz com que não vejamos o que temos realmente diante de nós
Nunca é tarde pra recomeçar uma nova história em um novo lugar
Venha, venha conhecer o que as páginas ainda tem a revelar
Sinta, sinta o que eu quero dizer
Com as palavras que perfumam o ar
Esse novo ar... aqui,
Que nasce dentro de mim
Seria amor? Seria dor? Seria a perda querendo ocupar o espaço vazio do meu coração?
Gostaria de não saber que o relógio não parou
E não gostaria de viver em vão
Me sobrou do amor a ausência que afunda os pés na lama
E a esperança que me cega os olhos com nuvens de algodão
Ficarei acordada, esperando a solução
Pra acabar com minhas dúvidas e com as incertezas que o presente me traz
As perguntas que eu nem sei direito quais são, eu tentarei responder.
Quem é que vai me salvar dessa maré forte que me puxa cada vez mais pro abismo?
Se não trouxer o céu, que pelo menos me divirta.
Que venha pra me intreter em tempos de insônia
E que me traga a paz em tempos de guerra
Me coloca na cama, acho que mudei de idéia, vou dormir pra ver o sol surgir.

Giz

"Desenho toda a calçada

Acaba o giz, tem tijolo de construção

Eu rabisco o sol que a chuva apagou

Quero que saibas que me lembro

Queria até que pudesses me ver

És parte ainda do que me faz forte

E, pra ser honesto,

Só um pouquinho infeliz..."

(Legião Urbana)

Substituir


Todos nós tentamos fazer do outro uma cópia idêntica de nós mesmo. Não conheço ninguém que escape a essa regra. As diferenças fascinam, encantam, atraem. Mas são as semelhanças que tornam as coisas possíveis, compatíveis, duráveis. No início, o estranho nos provoca uma paixão imediata... Coisa linda eu adorar molho vermelho e ele, mesmo só gostando de molho branco, ceder ao meu gosto. Que lindo ele só assistir filme violento e eu, encantada pelos melodramas, assistir horas de tiroteios sem fim. Maravilhoso que ele adora dormir até tarde e mesmo assim vai comigo quando invento de caminhar pela manhã bem cedo.




O problema é que aquelas mesmas coisas que nos despertavam tanto interesse são as mesmas que passam a incomodar. Ele não atura mais molho vermelho, eu não aturo mais pancadaria e ele não acorda mais antes do meio-dia, nem com banda. Amobs cansam de ceder, e aquele fascínio cede espaço para uma frustração e aquela crença de impompatibilidade. É aí que um passa a tentar mudar o outro, impor seus gostos, suas preferências. Aí o relacionamento tem duas saídas: ou acaba, ou um vai se anulando aos pouquinhos até se tornar imagem e semelhança do outro. Em qualquer uma das duas, mais cedo ou mais tarde acaba acontecendo o encantamento por outro alguém, completamente diferente de nós, que ultrapasse seus limites, enfrente seus medos e faça o seu coração se sentir vivo outra vez. Feliz ou infelizmente, é o ciclo da vida.




Tentamos fazer com que as pessoas se tornem nossas imagens fiéis, para depois trocá-las por algo diferente e, consequentemente, mais emocionante. Sem ser previsível, monótono, igual. Deveríamos aprender a respeitar o outro, a entender que não podemos mudar ninguém, se muitas vezes nem a nós mesmos conseguimos mudar. Deveríamos respeitar, ententer, amar, aceitar. Mas somos egoístas, ainda estamos muito longe dessa aceitação. Por enquanto, só resta sugerir que, se for para tentar mudar alguém, que seja pra melhor. E que valha a pena.

sábado, 26 de setembro de 2009

Não Banaliza.


Diz que me adora, que me quer, que me acha linda, maravilhosa, que eu sou um espetáculo, a mulher mais linda do mundo. Que sou sol dos teus dias, lua das tuas noites, água da tua sede, oásis do teu deserto, estrela do teu céu de nuvens. Que sou a mais carinhosa, a mais romântica, que os meus olhos brilham mais que um punhado de estrelas juntas, que minha boca é a mais rosa e a única que queres beijar. Diz que não vive sem mim, que sou a melhor coisa que te aconteceu, que juntos somos inigualáveis, que somos um casal lindo, que me achas mais importante que qualquer coisa no mundo, que me idolatras, me veneras.


Mas guarda os teus "eu te amo". Pra dizer ao pé do ouvido, pra dizer naquela noite especial, pra dizer quando o coração realmente estiver a mil. Não o banaliza, não o trata como bom dia. Pra eu me surpreender sempre que ouvir, e saber que continua sempre sendo sincero, e não aquele "te amo" automático que muitas vezes nos acostumamos a dizer.


Tu sabes e eu sei, que és sol que me esquenta, água que me sacia, pão que alimenta, amor que fascina, flor que perfurma, jardim que floresce, encanto que cresce, e talvez essas palavras valham tanto quanto as três sagradas. Cada dia mais o meu coração se enche de coisas boas e não preciso todo dia dizer eu te amo pra que entendas isso. É fácil, basta olhar nos meus olhos, ler as coisas que escrevo cheia de amor. Basta lembrar de nós dois e entender que, no mundo inteiro, nada se compara a quando estamos juntos. Mesmo que não haja o te amo em todos os dias do nosso roteiro, com certeza o filme é longo, e talvez apenas a última cena vá realmente merecer tamanha declaração. Aí sim, certeira e de coração.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Someday We'll Know

Uma música pros milhares de quase-amores que temos na vida.
*
*
"Does anybody know the way to Atlantis?
Or what the wind says when she cries?
I’m speeding by the place that I met you
For the ninety-seventh time...Tonight
*
Someday we’ll know
If love can move a mountain
Someday we’ll know
Why the sky is blue
Someday we’ll know
Why I wasn’t meant for you..."
(Mandy Moore & Jonathan Foreman)

.
.
P.S.- Someday you'll know, that I was the one for you.

É Madrugada

E, durante a madrugada, batem aqueles sentimentos que ficam escondidinhos dentro de mim. É o misto da música baixinha com suas baladas tranquilas, as letras de amor e o silêncio, somado com a vista que tenho, através da janela que esqueci mais uma vez de fechar, da lua crescente. Crescente como essa solidão toda, crescente como o meu amor e a falta que eu sinto.
Falta do que já foi, do que ainda não foi e daquilo que nunca será. Falta das coisas que continuam sendo e que sempre serão. Falta inclusive o sono, que em mais uma madrugada decidiu fugir de mim. Sobra tanta falta que não cabe em mim. Ainda bem que a falta eu mato, a solidão se vai e o amor sempre fica. Que continue faltando tudo, e sempre sobrando amor. Porque, se esse faltar, aí me falta até o chão.

Duas Vidas


Eu gostaria de ter duas vidas. De poder fazer tudo que eu quisesse. Teria duas carreiras brilhantes, duas famílias, duas personalidades. Seria um monte de incomodação e trabalho, mas sabe de uma coisa? Valeria muito a pena. Poderia fazer muito mais gente feliz, ajudar muito mais, estudar mais, conhecer mais, falar mais línguas, ser médica e advogada. Ainda teria um espaço na política.
Eu daria tudo para ter duas chances, se duas vidas não me fossem possíveis. Queria achar um gênio do passado, presente e futuro. Eu tentaria um caminho, se não desse certo, se eu não gostasse, eu o chamaria e ele me colocaria de novo aonde estava, na encruzilhada, aí eu seguiria a placa ao lado. E seria maravilhoso.
Mas eu só tenho essa vida. Eu só tenho 18 anos. Mas chances, eu tenho um milhão. Tenho chances todos os dias, em caso de vestibular, tudo bem, todos os anos. Mas e daí? Ninguém é obrigado a saber sua verdadeira vocação desde pequeno. E eu que penso ter duas vocações? Qual o plano? "None". O que me resta é tentar um caminho e depois, o outro. E se a sorte de eu ter escolhido o certo bater, eu persigo nele. Se não, eu troco, tendo certeza de que fiz a escolha adequada, desta vez. Quantas vidas eu precisaria para descobrir que é preciso ter somente uma? Que vinte e quatro horas me são suficientes para fazer tudo o que eu posso, apesar de eu ter essa sensação de que não são. E os amores? Haha! Quantas vidas eu precisaria para descobrir que é só por uma pessoa que se precisa amar para se sentir completo.
Mas hoje, eu não consigo ver muito do que páginas a serem escritas. Realmente, minhas decisões com 18 anos mudarão os próximos. Será que terei coragem de mudar se estiver errada? Será que eu farei diferença no que eu escolher?
Talvez seja a hora de arriscar.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Reveillon



Sabe aquela propaganda: "Ó Céus, Ó Vida"? Pois é. Hoje tá sendo assim pra mim. Vamos brincar de um jogo "E se...". Tanta coisa poderia acontecer. E eu me pergunto o que está havendo. Nessa loucura toda, quando a vida me questiona e me joga pra baixo, ela me pede paciência, eu me peço paciência. Gostaria de entender a razão por tudo estar acontecendo assim, desse jeito tão torto, há tanto tempo. Se ao menos eu soubesse aonde este caminho irá me levar. Se ao menos eu entendesse.
Bem, um otimismo no peito tem o dom de recuperar as forças uma vez perdidas, não é mesmo? Eu, pode apostar, sei o quanto esse sentimento é poderoso. Então, agir com o otimismo pode dar certo. Pode tirar esse peso das minhas costas e me tirar do lugar de vítima. Se ainda não deu certo, é porque não está no final. Clichê, contudo verdade. Então, otimismo, persistência e paciência é o que me falta e é exatamente o que me sobra no fundo. Agora uma tontura me tomou, como se essas atitudes me tivessem sido impulsionadas. De repente meu coração acelera e minha cabeça gira. O porquê eu não sei. Mas sinto que é o certo. Nada de tristeza, porque tudo pode acontecer. E realmente, tudo. Assim, já nem me vejo desesperada, já tenho meus pés no chão e minha cabeça, ainda, dentre as nuvens. Aquele aperto já não me pertence mais, e, eu como pião, estou lançada no jogo. Mas no jogo da vida, não existem perdedores nem vencedores como num jogo de canastra. Há, sim, o quanto de valor você tem diante do jogo e o quanto ganhou com as estratégias, sem trapacear. No final, vence aquele que não tinha tanta ambição, que soube jogar com destreza e com o coração limpo. A vida nada mais é do que o jogo da verdade. O troféu fica com quem agiu com fé e generosidade, pois esse, nunca se sentirá um perdedor, mesmo que o jogo não tenha sorrido para ele.
As coisas não saem mesmo do jeito que planejamos, então, parei de querer controlar tudo que me cerca. Eu já planejei tanta coisa, meu Deus. Se planejei! E não teria como dar, porque as pessoas não são tão previsíveis quanto esperamos que elas sejam. E a grande ironia é que eu sei que as surpresas e os desvios de rota não são realmente ruins, porque se tudo fosse dentro dos conformes, não teria tanta graça. Não teria luta, portanto, não haveria a emoção. Seria fácil e o fácil, para nós, humanos, nem sempre é o caminho que nos agrada.
Por tudo isso, vou dançar de acordo com a música. Vou sorrir quando me pedirem, vou sair quando fecharem a porta. Vou rezar quando me faltar luz, vou agradecer quando me derem presentes. Vou caminhando, sem olhar para trás, com esperança e alegria, porque nada do que fizermos com negatividade dará certo. Mesmo quando a situação não é favorável, mesmo quando tudo dá "errado", a fonte da vida está dentro de nós e não ligar para as perdas, para os incêndios, para as enchentes, só nos fortalece e nos faz ver a vida com outros olhos. Olhos de quem na realidade não perdeu nada, foram os planos que falharam. Porém, Ele tem planos melhores e eu confio. E a pressa, nesse caso, não me serve. Para nada.
Logo será Reveillon.

"Pessoa, não duvide que na vida tudo pode acontecer
E o sol pode estar quente, de repente, trovejar e até chover
Mas chuva lava a alma, tenha calma, vai acontecer
Saiba esperar, não se negue a crer
Que foi aquele jeito apressado de querer vencer
Quase nos deixou mal
mas nada há de abalar nossos planos
Você vai ver que com o passar dos anos
O que falta pra nossa felicidade
Jah vai providenciar, Jah vai providenciar"

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Não é Saudade.


É qualquer coisa, mas não é saudade. Reviro dentro de mim os álbuns cheios de recordações, com pessoas que já foram tão importantes e que hoje não significam mais nada, ou mesmo com aquelas que ainda significam mas que finjo que não possuem alguma importância.


Talvez seja a vontade que me ocorreu, hoje, de reviver os momentos que guardo nas minhas fotos mentais... Uma noite de lua cheia na beira da praia, um luau e um colo. Quis voltar àquela noite da gelatina de uva, reviver aquele primeiro beijo, te abraçar de novo, quis pés na areia e meu cachorro no colo, quis aquela música tocando baixinho, a garrafa de vinho. Ver de novo a cor dos teus olhos, o jeito que tua mão encontrava a minha, te reencontrar morrendo de saudades e passar a noite olhando as estrelas do céu do teu quarto. Quis sentir de novo o meu coração parar, de tanto bater.


Hoje tudo traz as memórias, o passado, aqueles que já não tem mais nada com a minha vida. As lembranças sufocam, e logo agora eu não sei mais nada de ti. Me obriguei a esquecer teu telefone, mas o teu cheiro reapareceu. Na minha blusa branca, no meu caderno, em mim. Inexistente no meu presente, mas sempre vivo no meu passado. E, de novo, vai passar.

Primavera!


"Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz. Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.
Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.
Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera."

Cecília Meireles

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

E sobre Deus...


Tem gente que me diz que Deus não existe. Eu acho impossível acreditar que tudo seja obra do acaso. Não, não acredito naquele Deus dos olhos azuis e barba longa, mas acredito demais na força do destino pra tentar entender que tudo é fruto de meras coincidências.... Tudo teria de ser coincidência demais.

É difícil entender quem acha que o céu azul é coincidência ou somente o fruto de uma explosão espacial, que somos apenas poeira de estrelas. É difícil entender quem não enxerga a complexidade e a perfeição de cada flor e tatu bolinha do jardim, e que acredita que só estão ali por algum acaso. A perfeição do ser humano, uma máquina perfeita. A incrível ordem dos fatos, as almas, os amores. Ah, o amor... Querem me convencer que o amor é apenas uma explosão química nos nossos corpos. Amor é alma. E alma é Deus.

E os amigos que encontramos? Seria mesmo possível que os encontrássemos por acaso? Eu duvido. Duvido que as coisas não aconteçam porque realmente tem que acontecer, que nossas experiências não sejam levadas para além dessa vida terrena, afinal não haveria porque passar por tantas provações se toda a forma de vida acabasse no momento do encontro com a morte. Acredito na vida, na beleza e no amor. Acredito em alma, crescimento e destino. Acredito, portanto, em Deus.


E que me desculpem os céticos, mas a minha felicidade seria fruto de coincidências demais.

Obrigada, Deus. Eu confio nos teus desígnios.

domingo, 20 de setembro de 2009

Um Amor Puro

"E a tua história eu não sei
Mas me diga só o que for bom
Um amor tão puro que ainda
Nem sabe a força que tem
É teu e de mais ninguém!
*
Te adoro em tudo,tudo, tudo
Quero mais que tudo, tudo, tudo
Te amar sem limites
Viver uma grande história
*
Aqui ou noutro lugar
Que pode ser feio ou bonito
Se nós estivermos juntos
Haverá um céu azul
*
Um amor puro
Não sabe a força que tem
Meu amor eu juro
Ser teu e de mais ninguém."
*
(Djavan)
.
.
Obrigada, apenas obrigada.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Obrigada


Hoje eu vim agradecer. Sim, com tudo que tem acontecido na minha vida, acho que obrigada é a melhor palavra. Tenho conhecido pessoas maravilhosas, apronfudado amizade com aqueles que já me eram especiais, ajudado muitos - uns passaram, outros ainda estão comigo. Tenho levado a vida levemente, com sorrisos e corações disparados. É claro que não foi tudo perfeitamente azul, mas estou aqui para agradecer e tudo que houve me serviu de alguma maneira pra que eu crescesse interiormente. Obrigada destino por tudo que colocas no meu caminho, pelas portas que se abrem, pelas pessoas que cativo, pela admiração que conquisto. Obrigada Deus pela força que venho tendo para enfrentar de frente o que tanto me incomodava. Por não ter desisitido, apesar de tudo ir contra. De não ter fechado os olhos para a única coisa que ainda importa na Terra: o amor. Obrigada por me dar fonte de otimisto e generosidade, para que, assim, eu transmita para os outros, como uma corrente do bem. Obrigada pelas oportunidades, por dar meu melhor para as pessoas, por dormir tranqüila. Por acordar feliz, por valorizar o que havia esquecido, por andar sem ter hora para voltar. Obrigada pelo que atraio, obrigada pelo céu azul, obrigada pelos te amos que recebo, e pelos que ainda virão. Obrigada pelo efeito que produzo nas pessoas, pela falta de tristeza, pela ausência daqueles que me querem mal, e acima de tudo, obrigada e muito pela proteção. Obrigada pela esperança que me cobre, pelo entusiasmo não perdido, pelos fracassos aceitos, pelo orgulho deixado de lado, pela tamanha sinceridade, pelo esquecimento, pelo perdão, pela evolução. Pelos livros, pelas músicas, pelos textos. Pelas conversas, pelos abraços, pelos apertos de mão. Pelos "hello" e pelos "goodbye". Pelas surpresas! Ah, sim! Pelas surpresas! Pelo meu passado, meu presente e pelo meu futuro, próximo e distante. Desde já, agradeço pelas coisas que ainda vão me estontear e me tirar do chão. Obrigada pela humildade de reconhecer meus erros sempre que possível e por relevar alheios.
"O caminho não leva à felicidade. A felicidade é o caminho."

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim...


















Talvez perdesse os sonhos dentro de mim, e vivesse na escuridão

Se eu não te amasse tanto assim

Talvez não visse flores por onde eu vim, dentro do meu coração.
.
.
Para a Júlia, que quase chora ouvindo isso, aqui do meu lado.

Mas Que Seja Infinito


...enquanto houver respeito. Enquanto houver carinho, amor, admiração. Enquanto a batida do coração for ensurdecedora e a paixão for notada pelo brilho nos olhos. Enquantos nos olharmos nos olhos. Enquanto os abraços forem aconchegantes, o carinho for o melhor do mundo e o colo for o único pedido para uma noite fria.

Enquanto formos amigos, amores e amantes. Enquanto o compromisso estiver no coração, e não apenas num anel no dedo. Enquanto a nossa foto me deixar com a maior vontade do mundo de sorrir. Enquanto dormirmos agarrados nos travesseiros naqueles dias em que não podemos nos encontrar. Enquanto músicas de amor me lembrarem apenas de você, e enquanto os nossos corações baterem no mesmo ritmo.


Enquanto os encontros forem prazeres, e não obrigações. Enquanto o desejo existir. Enquanto o amor fizer sorrir. Enquanto for recíproco. Durante o tempo em que formos confidentes, leais e sinceros. Durante todo o tempo em que nos fizermos felizes.


Enfim, que seja infinito enquanto dure.

E mesmo posto que é chama, que dentro de nós seja imortal.

O Demolidor


Começou a tocar Joe Cocker aqui, a música da minha mãe. É aquela que, quando começa a tocar, faz com que ela engasgue e chore. Não sei o que significa, até porque ela evita ao máximo ouvir, mas sei que tô sentindo o choro engasgando, igualmente. Essa música não me lembra nada especial, mas acho que algumas músicas nos desarmam e desmontam as certezas que acreditamos tão firmes.

É o que acontece quando ouço Elvis. Será o timbre, o tom, o ritmo, a letra? Eu não sei, vai ver seja uma combinação de tudo isso. Mas há algo nas canções dele que faz com que eu olhe pra dentro, que repense as minhas certezas e minhas escolhas. Eu chamaria o senhor Elvis de o Demolidor de Certezas. Cada um deve ter o seu próprio desmanche de convicções. Mas o Elvis não só desmancha as minhas convicções, como me desmancha inteira. Eu volto, pra recolher as peças partidas e ver o que é realmente necessário manter. Muitas vezes descubro que consigo me remontar utilizando apenas metade das coisas que deixei cair.

Depois de Joe Cocker, resolvi ouvir Elvis. Pra ter certeza se meu amor é tão firme, se minhas razões são tão razoáveis, meus sentimentos são verdadeiros e minhas escolhas acertadas. Ainda não tenho muitas certezas, mas sigo o que a minha amiga me diz. Enquanto o coração bate forte, é porque o caminho é certo. Enquanto a felicidade existe, o caminho vale a pena. Assim espero.


P.S.- a música da mãe é "Up Where we Belong". A do Elvis que tá tocando agora é "Suspicious Minds". Ambas maravilhosas.

Destino

(O Fabuloso Destino de Amélie Poulain - Figura)



Descubrir uma das razões por estar presente na Terra é mais um dos presentes que a vida nos dá. Ter certeza de que há uma missão para você realizar é incrivelmente mágico. Posso dizer que é sentir na mais intensa profundeza da minha alma os caminhos de Deus, seu poder sobre nós, e o quanto tudo isso vai mais além do que podemos imaginar. E eu não estou falando diretamente da fé que eu tenho, mas em como as vidas humanas são impressionantemente interligades, conectadas, como fios em uma teia de aranha. Cada um ajuda o outro a seguir em frente, sem deixar que o conjunto desmanche, compartilham os nós nas divisas que os unem e os separam. "Não importa o arranjo, em conjunto somos mais do que solo". Somos em conjunto, mais do que vidas passageiras. Somos fé e coração, juntos, construindo teias e destinos que se cruzarão eternamente. Em conjunto temos mais força, mais laços, mais vida. E eu vou aprendendo com cada pedaço do cotidiano que estou no caminho certo. Minha energia não se esgotará nunca pois eu não sei outra maneira de me sentir completa se não for a de ajudar os outros. Eu simplesmente seria um monte de ossos e pele que estariam a toa, em vão, talvez, no mundo. Graças a Deus, eu tenho um coração grande do tamanho do mundo e que se eu podesse, o abraçaria com tudo de bom que eu possuo. Ainda é pouco, hoje o que eu faço. Porém minha sede de vida não vai ser derrotada pelas barreiras físicas que me são impostas, isso é maior que qualquer coisas que haja para me impedir. "How can you stop the rain from falling down?". E eu não sei ao certo o motivo de eu me sentir tão perfeitamente eqüilibrada e bem ao fornecer ajuda. Talvez seja simplemente pelo prazer de ver outra pessoa feliz com o que eu contribuí. Talvez seja por me sentir útil, me sentir plena, por saber que estou agindo corretamente e chegando mais perto do que um dia todos nós seremos. E por decifrar os caminhos do plano espiritual, bem aqui, diante dos meus olhos. Só tenho que agradecer pelas oportunidades diárias que surgem para eu fazer o meu melhor e elevar meu espírito.

"Não é preciso mais adormecer
Pra sonhar com um anjo descendo
Do céu, basta você perceber
Que sou mais que um amigo fiel.
Sou aquele que trás alegria de Deus,
E a entrega direto ao seu coração.
E com você vou sorrir e chorar,
Lado-a-lado vamos caminhar.
Quando de ajuda você precisar,
Dou minha vida pra lhe resgatar,
Esse é o desejo de Deus
De hoje em diante o seu Anjo sou eu.
(...)
Não tenho asas e nem sei voar.
Mas o que o mundo não pode,
Eu posso lhe dar,
(...)
Quando de ajuda você precisar,
Dou minha vida pra lhe resgatar,
(..)
Sou Muito mais que um amigo,
Sou um Anjo que o Senhor enviou.
(...)

Nós somos mais que amigos,
somos anjos que o Senhor enviou,
vamos gritar para o mundo ouvir, Somos Anjos..."
(Mais que Amigos - Anjos de Resgate)

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

N

não sei
não quero
não vou
me acostumar com a tua ausência.
.
.
.
"Espero que o tempo passe
Espero que a semana acabe
Para que eu possa te ver de novo
Espero que o tempo voe
Para que você retorne
Pra que eu possa te abraçar e te beijar de novo..."
(Nando Reis)

Beauty and The Beast


Tale as old as time
True as it can be
Barely even friends
Then somebody bends
Unexpectedly
Just a little change
Small to say the least
Both a little scared
Neither one prepared
Beauty and the Beast
Ever just the same
Ever a surprise
Ever as before
Ever just as sure
As the sun will rise
Tale as old as time
Tune as old as song
Bittersweet and strange
Finding you can change
Learning you were wrong
Certain as the sun
Rising in the east
Tale as old as time
Song as old as rhyme
Beauty and the Beast
Tale as old as time
Song as old as rhyme
Beauty and the Beast

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Palpite


"Tô com saudades de você
Do nosso banho de chuva
Do calor na minha pele
Da língua tua.
(...)
Eu sinto a falta de você
Me sinto só
E aí, será que você volta?"
*
(Adriana Calcanhotto)

Encontrar alguém


Encontrar alguém engraçado, te faz rir. Alguém romântico, amolece o coração. Alguém bonito, enche os olhos. Inteligente, acrescenta. Paciente, você fala. Diferente, surpreende. Alguém que te tire da rotina, aventura. Alguém que te recite poesia, maravilhoso. Que te dê flores, encantador. Que te chame de coração, afrouxa as pernas. Que te admire, segurança. Alguém sincero, você acredita. Alguém que prometa, tempo. Mas encontrar tudo isso em um só, você deve levantar as mãos pro céu e agradecer o presente que Deus deu a você.


E você só sente que é diferente. Desta vez você sabe que aquilo tudo que faltava nos outros, está lá, a sua espera. E por momentos, você se pergunta se isso é realmente bom, porque o medo de perder quando o custo seria tão alto, chega a dar arrepios. Você se pergunta, quando um "prince charming" vai aparecer assim, de novo, na sua porta? E o que você escuta agora é o seu coração batendo forte, ansiosa pela próxima vez que terá o prazer de ouvir o que ele tem a dizer. Querendo decifrar cada pensamento, cada detalhe escondido, cada olhar que ele possui. E você se pergunta: "Por que agora? Por que eu? E como?". E aí, você fala: "destino" - como se alguém tivesse assoprado no seu ouvido esta palavra tão mágica, mas tão irreal. Será?


E tem outra explicação? Eu acredito que tudo acontece por uma razão, trazendo conforto e explicação para as pessoas que se vão ou oportunidades que não deram certo. Você nunca sabe a melhor coisa que não lhe aconteceu. E então, indague-se o que essa beldade está fazendo com você e o quanto você está disposta deixá-la fazer. Eu optaria pelo "jogue-se de cabeça", porém eu sei o quanto é difícil quando se trata de arriscar, pois você tem a suscetibilidade de perder. Mas pense que tudo que tiver que ser, será. E se esse, realmente, for "the one", rapidamente você perceberá. Confie que tudo dará certo, porque dará. De alguma forma, dará. É só o começo, o final está longe ainda para que haja o "felizes para sempre". Então, não tenha pressa, não se desencoraje, não se abale. Tenha fé, que essa maré está adoçada com mel.
"Like a river flows surely to the sea
Darling so it goes
Some things are meant to be
Take my hand, take my whole life too
For I cant help falling in love with you"
Elvis Presley

Coração de Casal

Meu coração é de casal, cabe nós dois, quentinhos e nem tão apertados assim.
Meu coração tá batendo por dois, rindo por dois, sonhando por dois.
Meu coração pensa por dois.
Ama por dois.
Meu coração é, na verdade, dois.
Porque tem um igual a ele que bate fora do peito.
No mesmo ritmo, no mesmo amor, com a mesma alegria.
Meu coração é king size. Então deita aí, e não tenha nenhuma pressa de levantar.
A cama é grande, o cobertor é quente e o meu amor é imenso.
Meu coração, definitivamente, é de casal.
Sob medida, pra mim e pra você.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Se tudo pode acontecer

Se tudo pode acontecer
Se pode acontecer qualquer coisa
Um deserto florescer
Uma nuvem cheia não chover
Pode alguém aparecer
E acontecer de ser você
Um cometa vir ao chão
Um relâmpago na escuridão
E há gente caminhando de mão dada de qualquer maneira
Eu quero que esse momento dure a vida inteira
E além da vida ainda de manhã no outro dia
Se for eu e você
Se assim acontecer. . .



Adriana Calcanhoto

domingo, 13 de setembro de 2009

ZH

"[...] Mas amor e sexo não andam mais juntos, e as pessoas ficam perdidas, procurando um amor estável e ao mesmo tempo se abrindo para emoções efêmeras, tentando canalizar seu desejo e ao mesmo tempo sendo excitadas por inúmeros estímulos que chegam da tevê, do cinema e das revistas.
Não creio que estejamos mais infelizes no amor, mas um pouco tontos, certamente. Muitas possibilidades nos atraem e ao mesmo tempo nos paralisam. O que cada um de nós quer e precisa? Foco e autoconhecimento para transitar nesse freeshop erótico-afetivo sem virar refém do próprio deslumbre." (Martha Medeiros)

sábado, 12 de setembro de 2009

Cruisin'

Baby let's cruise, no way from here

Don't be confused, the way is clear

And if you want it you got it forever!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

saudade

Bater com o pé na porta dói


cair de bicicleta dói


brigar com um amigo dói


Mas a dor que mais dói, de verdade, é a de saudade.


É impossível engessar a saudade, como fazemos com o dedo que machucamos


não existe curativo pra saudade, como pra curar os arranhões que o tombo nos deu


nem existe desculpas pra saudade.




Ela não perdoa, e o coração fica lá, diminuído, apertadinho de tanto doer. o tempo passa. a ferida fecha, o amigo volta, o pé conserta. e a saudade continua lá. mais um dia amanhece, uma tarde de sol, um dia de chuva, uma noite estrelada, um céu estampado, mais um dia, mais uma tarde, mais uma noite. e ela ainda está lá. a saudade é uma ferida que nunca cura completamente, basta o coração pulsar mais forte que ela se abre novamente, pronta pra nos engolir inteiros.
.
Sentir saudade é uma droga. De um cheiro, de uma boca, uma frase sussurrada no ouvido ou da sensação de sentir cócegas enquanto alguém lhe beija o pescoço. De um momento que não deveria acabar jamais ou de um gosto que não sabemos quando e se provaremos novamente. De um amigo que tá muito longe, ou daquele que, mesmo morando a algumas quadras, faz toda falta do mundo quando não tá segurando a sua mão.
.
Dizer "eu sinto saudades" é mais forte que dizer "eu te amo", pelo menos pra mim. Amo algumas pessoas, mas são poucas aquelas cuja ausência me dói. Sentir saudades é amar a ponto de notar cada segundo longe desse alguém, é sentir o amor sufocar e não ver a hora de reencontrar, de abraçar, de olhar nos olhos e encontrar ali um porto seguro. Saudade é um balde que não enche nunca, uma estrada que não acaba, um arco-íris sem pote de ouro, uma casa sem teto, um eu sem te amo. É sentir-se sozinho em meio à multidão. É uma mão sem a outra, uma boca sem beijo, uma cama vazia, uma noite insone. São milhares de pensamentos que voam pra longe, que buscam encontrar e capturar aquele que nos faz sentir tão vazio. Vazio, talvez essa seja a palavra. É o buraco que a saudade deixa, a ferida que abre, o peito que aperta, o coração que sofre.
.
É mais do que amor. O que eu sinto é saudade.
.
.
"Tô louca pra te ver chegar
Tô louca pra te ter nas mãos
Deitar no teu abraço
Retomar o pedaço que falta no meu coração..."





quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Ups! Alguém levou primeiro!


É preciso deixar ir. Sim, com a força do vento e do tempo. Somos "Felícias", esmagando nossos desejos e sem querer, acabamos por perdê-los. Somos sufocantes. Melhor perder somente esta postura. Compreendendo que ninguém pertence a ninguém, ficaremos em paz, leves e abertos para o que acontece a nossa volta. É preciso aceitar que somos movidos por paixões e planos. Por emoções, rotina e arbitrariedades. Mas não se iluda, você não pode controlar tudo que acontece. Somente suas ações, quando estas não são muitas vezes tomadas pelo chefe substituto "coração" quando a razão vai tirar férias no Hawaii. E convenhamos, ele deveria ser o diretor na nossa empresa, não acha? Deixe livre, deixe só, deixe a si mesmo. Contemple a incerteza, a liberdade e a magia de não saber realmente se o amanhã trará alguém que te fará ainda mais feliz. Nada é em vão e nem tudo está perdido. Está na hora de soltar a mão do guidon, de ir até onde não dá pé, de arriscar falar mais alto. Ou melhor, reivindique, brigue, escandalize. Não se submeta nem seja comedido.

Está na hora de esquecer. De aproveitar, na forma mais intensa que essa palavra pode representar. Está na hora de guardar no baú tudo que faz mal. Fazer de conta que é Reveillon não pode ser de todo mal, certo? Então, jogue fora tudo que encomoda, que traz lembranças que machucam, ainda que a indiferença seja a melhor alternativa, ela está longe, então jogue com os caminhos que levam à ausência. Ausência: palavra poderosa. Nos faz muitas vezes nos desvencilharmos, amiga do tempo ela transforma até mesmo sentimentos e as memórias, antes tão coloridas, vão ficando amareladas até parecerem com as fotos do casamento de seus tataravós. Sim, nada é impossível. Tudo é uma questão de amadurecimento do que queremos, do que não devemos, do que não temos e do que queremos conquistar. O que você quer? Aonde foi que perdeu o rumo? Volta lá. Pega, com unhas e dentes, não deixe escapar. Você não sabe o quanto o arrependimento do que não fizemos pode nos causar dor.

Páre de sofrer por aquilo que já nem é seu mais. Por algo que não tem. Preocupe-se com o que lhe pertence. Vamos supor que você se encontra numa loja e justo aquele vaso que mais gostou não tem mais pra vender, pois alguém o admirava também, ao seu lado, só que foi mais rápido, "meteu a mão" e lá se foi! Você sai da loja triste, vai pra casa e pensa, "puxa, se eu tivesse chegado um minuto mais cedo!" Volta tudo. Você está na loja, o vaso que mais gostou está lá. Você nota que a moça ao seu lado está admirando também a divina obra de artesanato. Você reflete e quando finalmente decide, ''voilá'', ela está indo em direção ao caixa, feliz da vida. Você, então, decide olhar as outras coisas da loja e rapidamente resolve levar um porta-retrato maravilhoso! E pensa,"o que eu queria mesmo fazer com um vaso de porcelana? Desastrada do jeito que sou, ia durar um dia lá em casa!" Sai da loja satisfeita, porque, fotos, sim, nunca faltarão para alegrar a sala de estar. Você se apaixonou por duas coisas diferentes em menos de dez minutos. Bem melhor do que se apaixonar por um, quebrar a cara, e ainda chorar por ter sido trocada. Pensa, se hesitou tanto, é porque não tinha certeza. Outra que estava certa do que queria, levou o embrulho com papel crepon. Ela merecia mais do que você. Já o porta-retrato, ah! Esse sortudo! Você acertou em cheio. Foi paixão a primeira vista. Tudo a ver com você. Muito útil, colorido, requintado e elegante. Do jeito que você queria. E ainda não tem perigo de quebrar, é durável. Vai ficar na sua casa por muito tempo. Talvez até o coloque em uma das milhares de caixas que levará quando se mudar de moradia, de bairro ou cidade. A gente nunca sabe quando um belo porta-retrato na estante fará toda a diferença, sabe-se lá os momentos que ele guardará e apresentará para os convidados. Ou simplesmente ilustrará suas noites, para que você fique contemplando e sonhando, antes de dormir. Ah! Momentos que viram memória e desses, minha amiga, você não vai querer esquecer.



Hoje os ventos do destino
Começaram a soprar
Nosso tempo de menino
Foi ficando para trás
Com a força de um moinho
Que trabalha devagar
Vai buscar o teu caminho
Nunca olha para trás
[...]
Hoje o céu está pesado
Vem chegando temporal
Nuvens negras do passado
Delirante flor do mal
Cometemos o pecado
De não saber perdoar
Sempre olhando para o mesmo lado
Feito estátuas de sal
Hoje o tempo escorre dos dedos da nossa mão
Ele não devolve o tempo perdido em vão
É um mensageiro das almas dos que virão ao mundo
Depois de nós.

A Notícia


A notícia veio pra ficar. Aquela que não se esquece. Não passa em branco. Apareceu, iluminou e reparei que nessa imensidão do mundo e do tempo, somos dois. E somos dois desconhecidos que se conhecerão que já se conheceram, com certeza. O que eu estou fazendo? Comemorando a bela trajetória da vida, cheia de surpresas e desafios. Há semente, há chuva e há Sol. Agora é esperar ansiosamente pela primavera chegar. E ela vai chegar, como você na porta da minha casa, na minha rua, pra desarrumar meu quarto desarrumado. Para desfazer meus planos e bagunçar minha rotina. Se intrometer onde não fora chamado, pra me dar um livro ou reparar no meu timbre. E quando tudo dá errado, não há o que piorar, por isso notícias bobas se tornam verdadeiramente de manchete, na primeira página com foto colorida, pra todo mundo ver e comentar.

Tudo acontece por uma razão. Quanto a nós? Ah, nós vamos vivendo, tentando fazer o melhor, uns mais, outros menos. Mas nada é por acaso. Se você acha que algo ruim aconteceu, espere pelo que virá: pode ser a justificativa para o que houve ter sido do jeito que foi. Dê o seu melhor, para todo mundo, com espírito leve e sabedoria para aprender a achar a saída. Deus me deu muita luz, assim levanto e recomeço quantas vezes for necessário. Minha força é maior que qualquer dor, que qualquer empecilho ou batalha perdida. Porque eu sei que nada é por acaso e tudo que consideramos perdas ou barreiras servem para aprendermos e revermos o que passamos para que no futuro possamos agir de maneira diferente. Sabe-se lá quem estará por nós esperando nesse momento. Esse mágico momento em que estaremos mais maduros e saberemos valorizar o certo.

Não se abale com a notícia que possa chegar pelo correio hoje, espere. Talvez na próxima edição você esteja na capa da revista, dando risada com um troféu nas mãos.

Completo

.
.
Problemas, quando não existem, a gente inventa. Rotina a gente cria, defeitos a gente acha, dor a gente adora multiplicar. E a felicidade? Chega de tentar acabar com ela. Conosco vai ser tudo diferente. Agora eu vou dobrar qualidades, soluções, dividir os planos e aumentar a improvisação. Tudo tem saído no improviso, e ficado muito mais bonito do que se houvesse qualquer ensaio. Meu coração tá transbordando amor, meu rosto transborda sorrisos, minha cabeça transborda nós dois. Tá tudo yin e o yang, preto e branco, doce e salgado. Tudo em equilíbrio, em harmonia. Tudo como nós dois, mistura tão bonita. Tudo como meu coração, que nunca se sentiu tão completo.
.
.
Por enquanto é só.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

A gente vai Levando

Chico Buarque - A gente vai levando

Mesmo com toda a fama, com toda a brahma
Com toda a cama, com toda a lama
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa chama
Mesmo com todo o emblema, todo o problema
Todo o sistema, todo Ipanema
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa gema
Mesmo com o nada feito, com a sala escura
Com um nó no peito, com a cara dura
Não tem mais jeito, a gente não tem cura
Mesmo com o todavia, com todo dia
Com todo ia, todo não ia
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa guia
Mesmo com todo rock, com todo pop
Com todo estoque, com todo Ibope
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando esse toque
Mesmo com toda sanha, toda façanha
Toda picanha, toda campanha
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa manha
Mesmo com toda estima, com toda esgrima
Com todo clima, com tudo em cima
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa rima
Mesmo com toda cédula, com toda célula
Com toda súmula, com toda sílaba
A gente vai levando, a gente vai tocando, a gente vai tomando, a gente vai dourando essa pílula !

Nove do Nove do Nove



O número nove é o último dos algarismos, considerado o número do fim e do recomeço para diversos povos ao redor do mundo; é o número da coroação dos esforços, do término de uma criação e da colheita das recompensas. Nove são os estágios que a alma deveria percorrer para alcançar o repouso eterno, de acordo com os astecas. Para os maias, a Deusa Nove é a deusa da lua cheia, representando a fertilidade e os frutos a serem colhidos. Para os esotéricos islâmicos, descer os nove degraus sem cair significa ter dominado os nove sentidos. Zeus teve em 9 noites de amor, 9 musas. Os anjos são classificados em nove categorias.O número nove, em 2009, representa o desapego para a numerologia. Além disso, para Dante e Beatriz, nove é o número do céu e do amor.


Portanto, agora é a hora de encarar a tríplice nove e renovar a sua vida. Jogar fora as coisas antigas, é hoje o dia de realizar os planos, de dar etapas por concluídas e iniciar novos ciclos. É hoje o dia de perceber os frutos das lutas, de recolher as recompensas que conseguiu, de mudar a vida pra melhor. É hoje o dia de coroar seus esforços. É hoje o dia do céu, infinito, e do amor, quem sabe também infinito. Planejar nove planos, traçar nove metas, agradecer nove vezes, colher nove frutos. É hoje, e é nove. Que seja novo.

Um Amor Puro

"Te adoro em tudo, tudo, tudo
Quero mais que tudo, tudo, tudo
Te amar sem limites
Viver uma grande história
Aqui ou noutro lugar
Que pode ser feio ou bonito
Se nós estivermos juntos
Haverá um céu azul..."
Djavan
.
.
.
P.S. são tantas coisas pra dizer, que só me resumo em músicas.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Distribuindo Te Amos


Quer melhorar o dia? Diga Te Amo! Estou falando sério. Se as pessoas se dessem conta e acreditassem em que é o melhor remédio para espantar a tristeza, pra nos desvencilharmos da solidão e fazermos alguém mais feliz, com certeza, antidepressivos não iriam vender tanto. É incrível o poder que o EU TE AMO tem. Ele liberta os sentimentos ruins que temos, ou melhor, faz esquecermos deles por um determinado tempo. Nos enche o peito de emoção por sabermos que sentimos tal presente de Deus. Não importa quem seja o destinado, declarar o maior sentimento que os humanos são capazes de sentir, aquele que transforma tudo, dá esperança, conforto, paz e alegria, o motivo principal de estarmos vivos, é a maior bênção recebida. E não importa se a pessoa sabe, se a pessoa é seu pai ou seu amigo, o te amo rejuvenesce e dá brilho a alma. Ficamos com o sorriso bobo e um pouco de vergonha tola: é a melhor sensação que existe.
"Por favor meu bem eu quero
Sem demora lhe falar
Eu te amo, eu te amo, eu te amo
Mas o dia que eu puder lhe encontrar
Eu quero contar
O quanto sofri por todo esse tempo
Que eu quis lhe falar
Eu te amo, eu te amo, eu te amo"
(Roberto Carlos)

O melhor amigo da Noiva

É incrível como podemos fingir pra nós mesmos por tanto tempo. Reconhecemos no fundo aqueles sinais que indicam os verdaeiros sentimentos, porém o mais fácil é continuar seguindo e não enfrentar o medo, a mudança, a insegurança. É mais cômodo. Para Tom foi realmente muito mais confortável viver trinta anos saindo com todas as mulheres que quisesse e tendo Hanna ao seu lado como melhor amiga. Ele precisou que a vida lhe provasse o sabor do ciúmes e da perda para que ele notasse o quanto, na verdade, amava Hanna. Não parece meio ilógico? Como, se ele gostava dela, a via como amiga? E mais, como podia ficar com quem bem entendesse e colocasse Hanna para o escanteio?

É mais lógico quando pensamos que ele tinha uma insegurança enorme, portanto, ao "pegar" todas as mulheres da cidade, se sentiria mais forte, mais capaz. E Hanna era muito especial para ele, assim, Tom não poderia ter a mínima chance de perdê-la. Era melhor mantê-la lá, no porta retrato da estante como sua melhor amiga, do que tirá-la por qualquer motivo que não tivesse dado certo na hipotética história romântica.

O mais incrível disso tudo é que no fundo ele sempre soube que a amava. Simples, ele preferia passar a maior parte de seu tempo com ela e isso era insubstituível. Nenhum amigo poderia ser sequer comparado com ela. Ela era única, perfeita, inatingível. Ele não vivia sem ela, nem um dia. O que mais isso podia significar?

Eu tirei lições dessa bela história. Não adianta, não podemos manipular as ações dos outros e às vezes, nem as nossas. Por mais que tentemos, existem profundezas e abismos dentro de nós mesmos que desconhecemos, não conseguimos nos desvencilharmos do absoluto pavor de enfrentá-los. A hora certa se existir, virá. E não importa quão tarde essa hora seja, ela revelerá tudo que havia escondido no interior dos nossos sentimentos e memórias. Nenhum intervalo de tempo importará. Ao contrário, servirá para vermos o quanto aquele momento é precioso e que a vida é valiosa demais para desperdiçarmos mais um minuto separados.

Esperar a vida inteira para estarmos com alguém que realmente amamos e nos faz intensamente bem, não tem preço. No final, não importa. A felicidade é tamanha que tudo parece ter se reduzido a um dia somente e o tempo perdido construiu o que há de sólido em nossas personalidades. O preço, na verdade, é o tempo que precisamos para amadurecer e enxergar o que nos faz realmente feliz. A mentira melhor contada e a mais difícil de ser descoberta é aquela que dizemos para nós mesmos.

domingo, 6 de setembro de 2009

Vítima



"Com a sutileza de um furacão

Você vai tomando conta do meu coração, baby..."

Rita Lee

sábado, 5 de setembro de 2009

The Scientist

"Nobody said it was easy,
It's such a shame for us to part.
Nobody said it was easy,
No one ever said it would be this hard.
Oh take me back to the start.
I was just guessin' at numbers and figures,
Pulling the puzzles apart.
Questions of science, science and progress
Do not speak as loud as my heart.
And tell me you love me,
come back and haunt me
Oh and I rush to the start.
Runnin' in circles,
Chasin' tails
Comin' back as we are"
The Scientist - Coldplay

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Mas é Homem e é Super


Tudo depende de como você encara as coisas. Afinal, as atitudes que você toma diariamente refletem não somente na sua vida como na dos outros. Às vezes fica realmente complicado de se olhar os fatos sob um ângulo positivo, mas é preciso. Lembre-se de vez em quando que alimentar o espírito de tristezas e rancores só nos empobrece como pessoas, e atraímos outras tantas que vibram na mesma freqüência. São como ondas de rádio que captam a estação escolhida. Nós vibramos sim. Atraímos o que transmitimos, por mais clichê que isso possa parecer. Vibrações sonoras, corporais, de um jeito mais simples - cheiros, sorrisos, olhares.
A mensagem de hoje era isso: não esquecer o quanto somos capazes de aproveitar as diversas situações que a vida nos proporcionou e continua, a nós, oferecendo. Seguir com alegria é muito mais prazeroso do que se deixar abater pelo fracasso. Fracassos são normais! São humanos. Você falhou, falhou, falhou e falhou! E daí? Onde foi mesmo que a vida parou? Em nenhum lugar. Este fracasso não vai fazer com que você nunca mais dê um passo, ao menos se você assim o desejar. Sim, você não é o cara do seriado e nem o Super-Homem. Mas você é homem e tem muitas coisas super também. Olhe para elas. Olhe para você! Puxa vida. Quantos anos mesmo? Ah! Mas quanto a vida pode lhe dar se você se permitir! Pegue um espelho. Essa cor que pinta o seu olho, não é linda? E esse temperamento espontâneo e bondoso é de se admirar. Sim, você tem milhares de adjetivos apaixonantes. Por que se fixar no ponto em que sofre? Como o super herói com poderes absurdos e inusitados, você não consegue voar e nem levantar um carro com a força dos braços, porém tem o super poder de fazer um monte de gente feliz.
Mesmo que se engane até passar a dor: sorria. Mesmo que seja só disfarce: dance. Mesmo que seja por hoje: divirta-se. Lembre-se de quando era criança, os motivos para se dar gargalhadas nunca faltavam. Despiste os traumas, as mágoas, as tristezas. Dê um pé na bunda no baixo astral. E enquanto você reflete para analisar o que aconteceu, vai ficando mais forte e mais equilibrado. Vai se dando conta que há muito mais lá fora do que você há dias atrás podia imaginar. "A vida é bela." Ninguém duvida disso. Não se coloque no lugar da vítima, seja sempre o vencedor. Não é o quanto você ganhou, mas sim o quanto você não se deixou vencer.

Devemos andar com a cabeça erguida, sem vergonha de termos errado, porque todos os erros do passado construiram a personalidade que temos no presente, para que façamos diferente no futuro. Temos segundas chances, terceiras e quartas. A vida é tão generosa se estivermos no caminho do bem e sendo da mesma forma gratos a ela, na maneira mais simples que se tem, a de estarmos abertos a novas oportunidades. O importante é sermos sinceros conosco, agirmos com fé e otimismo, com humildade para aprendermos com os erros e com o próximo.

Nada é tão definitivo que não possa ser pra sempre.

All of Me



"You took my kisses and all my love
You taught me how to care
Am I to be just remnant of a one side love affair
All you took
I gladly gave
There is nothing left for me to save
All of me
Why not take all of me
Can't you see
I'm no good without you
Take my lips
I want to loose them
Take my arms
I'll never use them
Your goodbye left me with eyes that cry
How can I go on dear without you

You took the part that once was my heart
So why not take all of me"


Billie Holiday

Não Era Pra Ser

Ela precisaria enfrentar um grande caminho para encontrar aquele que eu nem sei que é; precisaria inventar desculpas e passar um dia inteiro fora. Todas as suas amigas não puderam ir, e vendo a tristeza que ela ficava, resolvi que a acompanharia na 'aventura'. Planejamos tudo, ia ser perfeito. Só que não contamos com o fator clima, e hoje amanheceu um dia arquitetado por São Pedro para que a pobrezinha não fosse. Mesmo assim, ela quis ir. Aí eu tive que intervir.
Liguei para ela, minha casa com água até a calçada e eu sem guarda-chuva nem botas nem jaqueta, e disse que não poderia mais ir. Que não contava com o tempo desse jeito. O telefone ficou mudo do outro lado, eu sabia que tinha partido o coração dela, que ainda guardava uma última esperança de ir ver quem ela tanto desejara. Pensando, vi que aquilo não era pra ser. Mas também não era para eu ter colocado na conta um coração partido.
Primeiro, as amigas não puderam ir. Depois, eu não tinha meio de ir. Depois, a chuva. Se eu disser isso pra ela, é capaz que ela me dê um soco, mas eu acredito seriamente que isso não era pra acontecer. Não me pergunta o porquê. Não me pergunta nada. Só sei que foi uma soma muito grande de 'acasos' para que ela não fosse. Vai ver algo melhor a espere à frente, e por isso não possa acontecer tudo aquilo que ela sonhou, planejou, calculou. Eu continuo acreditando em destino, e que quando as coisas realmente tem que acontecer, elas acontecem. Se não foi dessa vez, definitivamente, não era pra ser.
Vou voltar pra cama, com um enorme sentimento de culpa, mas tentando me convencer que nada é por acaso. Algum dia vou ter a certeza disso, eu espero.

Doidice

"Pior é não te ver agora
Aflora vícios
Claras manhãs
Ou tanto mais
que eu possa ter
Nada quer dizer
Se o teu beijo não é meu
[...]
Temores rondando o ar
E eu pensando em ti
Me apaixonei?
Talvez, pode ser
Enlouqueci?
Não sei, nunca vi
Preciso sair
Depois que eu descobri
que há você
Nunca mais existi..."
(Djavan)

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Ele Seria Rei


Como seria bom se chegasse bem vivo e maduro
Para intrigar-me com tudo aquilo que aprendera
Mas que ainda sobrasse um pouco de curiosidade
Para ensinar-lhe as minhas teorias
Mas que tolas teorias!
Não importa, fascinado ele as escutaria.

Como seria bom se me chegasse com uma rosa, um vinho e uma carta
Mas melhor presente seria se me desse seu coração.
Que não fosse de extremo romantismo
Já que eu precisaria de um pouco de incerteza
Para continuar a querer conquistar sua paixão.

Como seria bom se chegasse sem revirar minhas gavetas,
Desarrumar meu guarda-roupa, fuxicar no meu passado
Que não fosse um peso e nem um fardo
Fosse leve que nem pluma e me enchesse de pureza
Que com ele se instalasse a presença da ausência da tristeza
Não quisesse controlar minha fúria e rebeldia
Não tentasse roubar da minha liberdade
E dos anos que a idade ainda me traria
Não fechasse a gaiola e deixasse eu bater asas quando desejasse
Porém que soubesse que meu pensamento a ele pertenceria

Como seria bom que me chegasse contando piadas
Das degraças e das peças que a vida lhe pregou
Com um belo sorriso, me conquistaria
E prometeria que nunca me deixaria
Uma gota de chuva dos meus olhos derramar
Como em um espetáculo de teatro, seria um ator
Desempenhando papéis de forasteiro, bandido, palhaço e o mocinho
Que sempre morre de amor

Como seria bom que chegasse me pegando no colo
E me chamasse de rainha
Me desse bons motivos para assim fazê-lo rei
E governar o meu país
Com a sua própria lei

Como seria bom se chegasse sem pedir licença.
Sem dar desculpas, nem quisesse esse meu jeito incoerente modificar.
E com as mesmas palavras doces diria que não iria
Distante jamais estar

Como seria bom se chegasse sem bater na porta
Me tirasse para uma dança,
No meio da sala de estar
Mas a estrada não é tão simples, é uma constante troca de par
E a paciência é a melhor virtude
Para quem morrerá de esperança
Nunca exausto de dançar.
Liana Dolci

aperitivo

Não gosto de esperar nada das pessoas, porque normalmente me frustro. Não gosto de ficar viajando em pensamentos antes que haja ao menos uma possibilidade das coisas acontecerem. Nunca gostei de criar expectativas, assim como eu nunca gostei de requeijão. Agora estou sentada na frente do computador, comendo requeijão de colher, e escrevendo esse texto. E sem saber direito o que eu quero dizer.

Contigo eu tenho feito tudo ao contrário. E, talvez pela primeira vez, fazer tudo ao contrário não é necessariamente algo ruim. Estou fazendo o caminho inverso. Não sei qual é o gosto da tua boca nem quão apertado pode ser o teu abraço. Não sei como é a tua rotina nem das músicas que mais gostas de ouvir. Te conheço apenas pelas coisas que me dissesse, não pelos meus próprios olhos. Não faço parte da tua vida e nem conheço tua história. E mesmo assim eu penso em ti o tempo todo.


Maluco isso, não? Eu não sei quase nada de ti, mas te devoro inteiro, assim como o pote do requeijão. Não me interessa quantos anos tu tens, quantos eu tenho, o que vão pensar. Não quero saber de muita coisa não, só me interessa saber se o teu coração bate no mesmo ritmo que o meu. Se a resposta for sim, pode ter a certeza que hoje eu descobri claramente o que eu quero. Quero te experimentar, dar uma chance, afinal não foi tu mesmo quem disse que "evitar a felicidade com medo de que ela acabe é a melhor maneira de ser infeliz"; não quero infelicidade, muito menos medo. Só quero a ti. Agora resta a ti me dar o sinal.
"Teus sinais me confundem da cabeça aos pés
Mas por dentro eu te devoro
Teu olhar não me diz exato quem tu és
Mesmo assim eu te devoro
Te devoraria a qualquer preço
Porque te ignoro, te conheço
Quando chove ou quando faz frio..."


P.S.- pra ti que gosta dos meus P.S.', me deixa te devorar inteirinho. Como se fosse um requeijão.

Prezado Gênio...


Eu não vim lhe pedir um milhão de reais. Nem que eu não sofra nunca mais de tpm. Nem pra que a minha maldita unha encravada deixe de incomodar de uma vez por todas. Nem peço para ser a presidente de uma multinacional, nem para passar de primeira no exame da OAB, nem para ter todos os homens do mundo aos meus pés. Não quero ser linda feito Gisele Bundchen, não quero um carro conversível nem uma montanha de sorvete. Não quero ser imortal, nem voar nem conseguir ler a mente das pessoas. Dispenso até essa coisa de três desejos, a gente poupa tempo e economiza os pedidos pra alguém mais desesperado. Eu quero uma coisa só, mas aí o senhor se vira pra conseguir.


Eu deseeeeejo... que o meu coração seja simplificado. É, agora o senhor pode se escabelar e dizer que era mais fácil conseguir me fazer criar asas. Quero saber o que eu sinto, pelamordedeus. Que ele funcione feito máquina, com direito até às luzinhas coloridas. Quando quer, luzinha acende; quando não quer, luzinha apaga. Luzinha pra amor, luzinha pra encanto, luzinha pra descomplicar o fim do túnel. Que táá escuro aqui dentro.


Quero poder ter certeza das coisas que sinto... amar porque é de coração, e não mais por arrependimento, por culpa, por medo de não ter de quem gostar. Quero ser simples, quero ser preto no branco. Ou gosta ou não gosta, ou quer ou não quer. E ah, uma coisa muito importante: uma coisa de cada vez. Não quero mais que meu coração vá oscilar entre duas pessoas, entre duas situações. Quero que ele tenha sirene contra o comodismo, e que apite enlouquecidamente até que me livre das minhas acomodações. Não tô pedindo pra escolher por quem me apaixonar, nem pra que tenha um botão pra que eu deixe de gostar instantaneamente de alguém que por acaso não me retribua o amor. Só quero saber o que eu sinto. Só isso. Será que o senhor consegue?


P.s.- e se o senhor não conseguir, a montanha de sorvete é de creme, por favor.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Maresia


"Ah, se eu fosse marinheiro
Era eu quem tinha partido
Mas meu coração ligeiro
Não se teria partido...
Ou se partisse colava
Com cola de maresia
Eu amava e desamava
Sem peso e com poesia...
(...)

Não buscaria conforto
Nem juntaria dinheiro
Um amor em cada porto
Ah, se eu fosse marinheiro
Não pensaria em dinheiro
Um amor em cada porto
Ah! se eu fosse marinheiro..."
(Adriana Calcanhotto)

Orfeu


Na mitologia grega, Orfeu era poeta e músico, filho de Apolo, e da Musa Calíope. Era o músico mais talentoso que já viveu. Quando tocava sua lira, os pássaros paravam de voar para escutar e os animais selvagens perdiam o medo. As árvores se curvavam para pegar os sons no vento. Ganhou a lira de Apolo. Alguns dizem que Eagro, rei da Trácia, era seu pai.
Foi um dos cinquenta homens que atenderam ao chamado de Jasão, os argonautas, para buscar o Velocino de Ouro. Acalmava as brigas que aconteciam no navio com sua lira. Durante a viagem de volta, Orfeu salvou os outros tripulantes quando seu canto silenciou as sereias, responsáveis pelos naufrágios de inúmeras embarcações.
Orfeu apaixonou-se por Eurídice e casou-se com ela. Mas Eurídice era tão bonita que, pouco tempo depois do casamento, atraiu um apicultor chamado Aristeu. Quando ela recusou suas atenções, ele a perseguiu. Tentando escapar, ela tropeçou em uma serpente que a picou e a matou. Por causa disso, as ninfas, companheiras de Eurídice, fizeram todas as suas abelhas morrerem.
Orfeu ficou transtornado de tristeza. Levando sua lira, foi até o Mundo dos Mortos, para tentar trazê-la de volta. A canção pungente e emocionada de sua lira convenceu o barqueiro Caronte a levá-lo vivo pelo rio Estige. A canção da lira adormeceu Cérbero, o cão de três cabeças que vigiava os portões. Seu tom carinhoso aliviou os tormentos dos condenados.
Finalmente Orfeu chegou ao trono de Hades. O rei dos mortos ficou irritado ao ver que um vivo tinha entrado em seu domínio, mas a agonia na música de Orfeu o comoveu, e ele chorou lágrimas de ferro. Sua esposa, a deusa Perséfone, implorou-lhe que atendesse o pedido de Orfeu. Assim, Hades atendeu seu desejo. Eurídice poderia voltar com Orfeu ao mundo dos vivos. Mas com uma única condição: que ele não olhasse para ela até que ela, outra vez, estivesse à luz do sol.
Orfeu partiu pela trilha íngreme que levava para fora do escuro reino da morte, tocando músicas de alegria e celebração enquanto caminhava, para guiar a sombra de Eurídice de volta à vida. Ele não olhou nenhuma vez para trás, até atingir a luz do sol. Mas então se virou, para se certificar de que Eurídice o estava seguindo.

Por um momento ele a viu, perto da saída do túnel escuro, perto da vida outra vez. Mas enquanto ele olhava, ela se tornou de novo um fino fantasma (ou em outras versões uma estátua de sal), seu grito final de amor e pena não mais do que um suspiro na brisa que saía do Mundo dos Mortos. Ele a havia perdido para sempre. Em desespero total, Orfeu se tornou amargo. Recusava-se a olhar para qualquer outra mulher, não querendo lembrar-se da perda de sua amada. Posteriormente deu origem ao Orfismo, uma espécie de serviço de aconselhamento baseado na doutrina espírita, ele ajudava muito os outros com seus conselhos , mas não conseguia resolver seus próprios problemas, até que um dia,furiosas por terem sido desprezadas, um grupo de mulheres selvagens chamadas Mênades caíram sobre ele, frenéticas, atirando dardos. Os dardos de nada valiam contra a música do lirista, mas elas, abafando sua música com gritos, conseguiram atingi-lo e o mataram. Depois despedaçaram seu corpo e jogaram sua cabeça cortada no rio Hebro, e ela flutuou, ainda cantando, "Eurídice! Eurídice!"
Chorando, as nove musas reuniram seus pedaços e os enterraram no monte Olimpo. Dizem que, desde então, os rouxinóis das proximidades cantaram mais docemente que os outros. Pois Orfeu, na morte, se uniu à sua amada Eurídice.
Quanto às Mênades, que tão cruelmente mataram Orfeu, os deuses não lhes concederam a misericórdia da morte. Quando elas bateram os pés na terra, em triunfo, sentiram seus dedos se espicharem e entrarem no solo. Quanto mais tentavam tirá-los, mais profundamente eles se enraizavam. Suas pernas se tornaram madeira pesada, e também seus corpos, até que elas se transformaram em carvalhos silenciosos. E assim permaneceram pelos anos, batidas pelos ventos furiosos que antes se emocionavam ao som da lira de Orfeu, até que por fim seus troncos mortos e vazios caíram ao chão.
Algumas interpretações deste mito, dizem que as pessoas que se dedicam a ajudar os outros, (Psicologia, psiquiatria, assistente social e até mesmo aqueles que fazem muita caridade), são pessoas que reconhecem que sofrem ou sofreram algum problema grave e agora buscam estas áreas tentando evitar que os outros, sofram o que eles sofreram, ou seja, é aquele que cura mas que não consegue se auto curar.Dizem ainda que no fundo essas pessoas estão se auto enganando, pois evitar que os outros sofram, não vai apagar o que eles mesmos sofreram.