quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Aos Amigos...



Para nós, um Feliz Ano Novo! E que ele venha, realmente, novinho em folha. Que traga suas 2010 luzes indicando o caminho e ajudando na trilha, que nos ajude a deixar aqui, neste último dia do ano, todo o rancor, o ódio e a mágoa que possam existir nos corações e que faça deste ano que está saindo do forno o melhor de todas as nossas vidas. Que sonhos sejam sonhados, batalhados e concretizados. Que o amor esteja presente em todas as coisas e que possa se sentir o prazer não só nas vitórias grandiosas, como nas pequenas lutas diárias. Que a paz seja um estado permanente de espírito, e não uma condição a que estamos submetidos apenas algumas vezes. Que o sucesso tome espaço em nossas vidas e que torne cada um de nós mais solidários  e prestativos e abertos. Que a vida nos presenteie com belos momentos e que Deus nos encha de força para concretizarmos tudo aquilo que desejamos, respirando a essência da vida em cada um desses 365 dias que vêm por aí. Que o coração torne-se um campo de paz e de amor, daquele amor sem objeto, aquele amar sem olhar a quem; que não haja espaço para as pequenas tristezas e para os grandes desafetos. Que este ano nos ensine a ser mais humildes, generosos e bons; que deixemos o orgulho de lado para nos desculpar quando estivermos errados, para poder voltar atrás quando bem quisermos, para sentir a felicidade do perdão em nossas vidas.

Desejo, além de tudo, que todos nós aprendamos a escrever nossas vidas à lápis: conduzindo-o com maestria mas sempre podendo apagar quando julgarmos necessário; que nunca sejamos obrigados  pelos outros ou por nós mesmos, a nos submeter àquilo que não nos satisfaz, não emociona, não traz felicidade. Que sejamos, acima de tudo, livres. Para escolher aonde ir, com quem ir e aonde chegar. Para escolher como viver e como se tornar melhor nesses 365 sóis que irão nascer. Desejo a todos um início de ano incrível, com as pessoas que amam e com a esperança e a vontade de tornar seus sonhos realidade. Desejo a todos uma lista curtinha das coisas a fazer, e que ela seja como sempre esquecida no terceiro mês do ano e permita que as coisas tomem seu rumo natural. Desejo uma grande lista de surpresas preparadas pelo destino a cada um de vocês, desejo que essas surpresas arranquem sorrisos e encham corações. Desejo flores nesse ano novo; sóis, luas e estrelas. Sonhos, cartas e um coração pulsante. Desejo, no mais amplo sentido da palavra, FELICIDADE.

Um tim-tim à vida. Um tim-tim à nós e outro por tudo que é bom e que ainda está por vir.
Feliz 2010.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Tente Outra Vez




Mais um ano chegando ao fim, e nada melhor do que sermos justos com nós mesmos e pensarmos que nada foi em vão e que tudo que ainda pode ser melhorado terá outra chance. Pensar que a hora de dar o primeiro passo é agora, de se determinar e de traçar objetivos para o novo ciclo, pronto para começar. Agradecer muito mais do que pedir, do que desejar, implorar. Agradecer por tudo e acima de tudo, por cada raio de sol e brilho da lua, por cada abraço forte e beijo sincero, por cada dia em que se pode abrir os olhos ao despertar de uma manhã. Agradecer por não ter ficado pelo caminho, por ainda ser inteiro, vivo e dono de um coração pulsante de vontades e amor. Agradecer pelos sonhos e por aquela força nas mãos para agarrar aquilo que tanto se deseja; pelas pequenas conquistas de cada dia, pelas grandes conquistas de um ano todo. Agradecer por cada canto, por cada dança e cada pássaro que se pôs a assoviar em nossa janela. Pela sinceridade de alguns, pelos bons caminhos, pelos amores, pelos amigos e por aquela família meio louca que te irrita às vezes mas que é a melhor quue se poderia pensar. Agradecer por poder encher os pulmões de ar, e soltar seu ar em forma de uma grande gargalhada, de uma oração ou de uma música ecoada no som da noite. Pelo mar, pelo céu, pelas estrelas. Agradecer pela vida em todas as suas formas e por ser parte, a cada dia, desse milagre que nos faz sorrir, chorar, amar. E por ter forças, para que o que ainda não deu certo possa vir a dar nesse ano que se inicia. Para aquelas coisas que ainda não deram certo, calma. Determinação e um sorriso no rosto. Nós podemos tudo, basta tentar mais uma vez.

"Basta ser sincero e desejar profundo
Você será capaz de sacudir o mundo
Tente outra vez..."

Nameless

São tantas coisas que eu quero dizer que nem consigo ordenar os meus pensamentos. É difícil organizar essa cabeça que vem há dias pensando em tanta coisa para escrever e não consegue colocar os arquivos em ordem aqui dentro. Tá uma zona essa cabeça, eu só quero deitar e dormir. Por hoje eu só quero deitar e dormir e, se puder, não acordar nunca mais. Parece que vivo de segundas opções, que o caminho que eu escolho nunca leva a lugar algum. Pode ser que esse desvio de percurso seja melhor do que a rota que incialmente eu tracei, mas isso eu não posso saber porque nunca cheguei aonde realmente quis. Sempre potencializo meu drama nesses meus dias ruins ou, melhor dizendo, nessas horas ruins e aí parece que o mundo vai cair. Mãos protegendo a cabeça, parece que o céu todo vai desmoronar. Ou talvez seja como hoje, que o céu completamente fechado se converteu em meia dúzia de pingos, pássaros cantando e um céu rosado de fim de tarde. Mas isso só amanhã e até lá, quero dormir. Pra sempre.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Coragem X Força

É preciso ter força para ser firme , mas é preciso coragem para ser gentil .
É preciso ter força para se defender, mas é preciso coragem para baixar a guarda .
É preciso ter força para ganhar uma guerra , mas é preciso coragem para se render .
É preciso ter força para estar certo , mas é preciso coragem para ter dúvida .
É preciso ter força para manter-se em forma , mas é preciso coragem para ficar de pé .
É preciso ter força para sentir a dor de um amigo , mas é preciso coragem para sentir as próprias dores .
É preciso ter força para esconder os próprios males , mas é preciso coragem para demonstrá-los .
É preciso ter força para suportar o abuso , mas é preciso coragem para fazê-lo parar.
É preciso ter força para ficar sozinho , mas é preciso coragem para pedir apoio .
É preciso ter força para amar , mas é preciso coragem para ser amado .
É preciso ter força para sobreviver , mas é preciso coragem para viver.

Get It Together



"The choice is yours
No matter what it is
To choose life is to choose to forgive E
You don't have to try
To hurt him and break his pride
just shake that weight off
And you will be ready to fly..."   

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Receita de Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor do arco-íris, ou da cor da sua paz, Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido (mal vivido talvez ou sem sentido) para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha, você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, não precisa expedir nem receber mensagens (planta recebe mensagens? passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumidas nem parvamente acreditar que por decreto de esperança a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

Então É Natal...


E hoje acordei com uma disposição natalina incrível, já fui arrumando os presentes, organizando as coisas. Acho que estou orgulhosa com os presentes que escolhi, com as pessoas que escolhi e com as escolhas que fiz. Chega no Natal e fazemos o primeiro grande balanço do ano, nos preparando para pensar no Reveillon e naquelas coisas que ainda temos o desejo de mudar, e hoje já acordei pensando que o saldo foi positivo, muito positivo por sinal. Foi um ano muito movimentado, cheio de erros e acertos, de altos e baixos, de pessoas entrando e saindo da minha vida. Mas, no fim das contas, parece que tudo dá certo... Chega no Natal e vemos que as pessoas que amamos estão bem aqui ao nosso lado e que aqueles que deixamos para trás ou que nos deixaram, não fazem muita falta ao lado da árvore da nossa vida. É muito bom terminar o ano nessa sensação de satisfação, de plenitude, de orgulho. De ter sobrevivido às dores, aprendido com os erros e aproveitado as oportunidades, sentindo felicidade. Felicidade de encher o coração, transbordar os olhos de lágrimas e de fazer sentir o mais profundo desejo de seguir em frente.

Para todos que estão embaixo da minha arvorezinha, desejo muita felicidade e muita paz, um coração sempre cheio de bons sentimentos para tentar ser sempre melhor, dar mais e não esperar nada em troca, para se sentir mais vivo, mais feliz, mais completo. E para aqueles que já não estão mais aqui, ou nunca estiveram, desejo tudo isso e muito mais... Para todos eu desejo esperança e força. Para todos eu desejo um amor de tirar o fôlego, um amigo para todas as horas, uma vida cheia de alegrias, algumas dificuldades para aprender e crescer e tornar-se melhor, um pôr-do-sol na beira da praia, um choro de felicidade, alguma música dedicada, um pedido inesquecível, uma vitória incomparável, uma conquista orgulhosa. Para todos eu desejo alguns presentes e um Papai Noel bem gordinho de amor e de felicidade. Porque, mais uma vez, é só o amor. É o amor o que move o mundo, ainda mais quando é Natal.

Feliz Natal!

"É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade
O amor é bom, não quer o mal
Não sente inveja
Ou se envaidece..."

The Way You Look Tonight




"There is nothing for me but to love you
And the way you look tonight..."
(Frank Sinatra)

P.S.- só porque faz horas que ando com essa música na cabeça.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Estrelas


Deus criou a noite para que todas as criaturas tomem conhecimentodo futuro brilhante que as espera, nas alegrias do Infinito Amor, em Seu Imenso Império de Estrelas.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Cortar o Tempo


Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,a que se deu o nome de ano,foi um indivíduo genial.Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.




segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Amor meu grande amor



"Enquanto me tiver
Que eu seja o último e o primeiro..."

domingo, 20 de dezembro de 2009

Nesse mundo só nosso


Se as pessoas olhassem mais para sua volta, muitos que se julgam sozinhos resolveriam essa questão. Às vezes basta um gesto especial, um olhar diferente, um cuidado a mais para que notemos a presença de alguém que permanecera calado, só observando o momento certo de agir. A vida é realmente irônica. Eu não entendo, as pessoas pelas quais mais nos interessamos não correspondem às nossas expecativas e as que mais esnobamos, nos acham incríveis. Expectativas... Acho que está aí a raiz do problema. Esperamos demais, nos decepcionamos demais, sofremos demais. Mas é incontrolável, é inevitável esse sentimento de esperança e desejo que se confundem ao ponto de chegarmos a forma quase que concreta e real de uma ilusão. Eu não entendo. A vida ensina de um jeito muito estranho em algumas situações. E se abrissemos a porta para alguém que não valorizamos? E se alguém que fazemos de tudo para sermos apercebidos resolvesse se importar? E se tanta coisa acontecesse. E se tudo isso fosse um sonho? Tudo seria tão fácil. Seria do jeito que eu quisesse. Seria tão lindo, um lindo sonho nesse mundo só meu. Nesse mundo só meu... só nosso.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Resposta



"Desfaz o vento
O que há por dentro
Desse lugar que ninguém mais pisou
Você está vendo o que está acontecendo
Nesse caderno sei que ainda estão
 
Os versos seus
Tão meus que peço
Nos versos meus
Tão seus que espero
Que os aceite
Em paz eu digo que eu sou
O antigo do que vai adiante
Sem mais eu fico onde estou
Prefiro continuar distante..."

(Skank)

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Não direi


Nunca disse. Realmente nunca disse que gostava de alguém assim - rápido, sem sofrimento, semo dor. A frase sempre saiu como um sopro, uma frase mal dita, um palavrão que ninguém podia ouvir pra que eu não fosse castigada. Geralmente quem gostava de mim eu não tava nem aí. E tinha ódio daqueles guris que me olhavam como se eu fosse um doce. Aquelas caras de idiotas que fazemos olhando pra pessoa, na verdade, admirando cada traço a fim de guardar na memória por mais tempo possível aquele retrato "perfeito". E, também, infelizmente quem eu gostava raramente correspondia ao coração batendo mais forte. Nunca tive um dedo muito bom, minha amigas sempre dizem que tenho um dedo mais do que podre. Acho que um dia ele acaba caindo de tão inútil que é. Mas a gente não tem escolha nesses quesitos. Se alguém conseguir controlar, me ensine. E aí era eu, que tentava esconder de tudo quanto era jeito a cara de boba, o mal estar, o nervoso. Até que minha melhor amiga descobria e me irritava tanto que eu confessava, mas aquilo doía. Dizer em alto e bom tom "eu gosto dele", nossa! Que sacrifício! Poisé. Uns oito anos depois nada aparentemente mudou muito. Continuo a mesma medrosa, orgulhosa e encabulada nessa arte. Como se falar fosse mudar algo aqui dentro, fosse deixar o coração cheio de esperança ou o sentimento mais forte. Que seja. Só por agora, eu digo, tola e esperançosa, "derrotada'' ou vitoriosa, o resto cabe ao destino decidir. Escutou? Não? Que pena, eu não vou repetir!



"(Mégara)
Se há um prêmio por julgar mal,
Já sei que vou ser eleita
Amar não vale o sofrer não
O verbo amar a razão rejeita!
(Musas)
Por que a mentira? Ele é terra, é céu, é o ar, que você respira
Para nós está na cara, isso não se esconde
Nós sabemos onde sua cabeça está
(Mégara)
Ah, não dá, não sei! não direi isso não
(Musas)
E o suspirar, vai negá-lo ah, ah
(Mégara)
Não ouvirei, não direi que é paixão
Meu coração não se emenda,
Tudo é tão lindo no início
Mas a razão diz se contenha
Se não quiser ir pro sacrifício
(Musas)
Vai ficar negando,
Essa sensação etérea,
Já estão notando
Que você está aérea
Aja como adulta
Que já não oculta
Que isso é, é, é amor
(Mégara)
Ah, não dá, não sei!
não direi isso não
(Musas)
Mas não vai fugir, seu sorrir é paixão
(Mégara)
Eu não topei, não direi que é paixão
(Musas)
Chegou enfim, isso sim, é atração
(Mégara)
Já é demais, não direi não
(Musas)
Ela não dirá
(Mégara)
Me deixem em paz, não direi não
(Musas)
Confie em nós é a lei da paixão
(Mégara)
Em alta voz, não direi que é paixão"

Trecho do Filme Hércules - Disney

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Ah! O amor...


Estar solteiro realmente é muito bom. Por todos estes motivos e muito mais: por ter tempo livre, por ter tempo de sobra, ser dono da sua vida. Por poder ser você mesmo, por saber onde se pisa, por não ter surpresas. Por não ter que ceder e nem deixar o orgulho de lado. Por ser, simplesmente - e se você já namorou sabe - mais fácil. Infinitamente mais fácil. E sabe de uma coisa? Nem sempre o mais fácil é o melhor.
Estar solteiro também significa ver o mundo em aspectos amorosos sob uma visão simples, limitada. Muitos pensam que ou vão encontrar o príncipe encantado, ou estão na fossa e pensam que o amor é algo inventado, coisa pra doido ou ainda, ninguém presta. Mas é aí que as pessoas tendem a ser pessimistas e pequenas. Porque estar solteiro é mais fácil, claro, porque não estamos lidando com nossos defeitos e com nossas fraquezas. Não temos que treinar nossa paciência, melhorar nossos pontos negativos. Não enfrentamos as incomodações, o ciúmes doentio, o desejo de possessividade que a maioria dos namorados é vítima (ou culpado). Não passamos por brigas desgastantes, ligações rompidas, palavras ásperas e desnecessárias.
Mas também deixamos de evoluir. Deixamos de pensar em maneiras de podermos ser pessoas melhores. Deixamos de entrar em contato com nosso íntimo e vencer muitos desafios lançados. Deixamos de deixar o orgulho de lado, mas aí deixamos de sermos humildes. Deixamos de ter uma opinião radical e imutável, deixando, assim, de sermos mais compreensivos e tolerantes. Deixamos de ceder, mas também deixamos de agradar. Deixamos de termos surpresas desagradáveis, mas também, perdemos as melhores que poderiam ser feitas. E o principal: deixamos de fazer alguém feliz. E com certeza, ter a oportunidade de colocar amor e sorrisos no coração e no rosto de alguém é o maior presente que a vida nos oferece, uma, duas, três ou quantas vezes forem necessárias. Deixamos de fazer coisas simples, mas que junto de alguém se tornam infinitamente mais especiais.

A cada ano, a cada namoro, a cada aniversário de casamento aprendemos a sermos melhores se caminhamos a favor da nossa felicidade e da do outro. Se nos revoltarmos e lutarmos contra, os castelos desmoronam, as ilusões se perdem com o tempo em meio a muitas lágrimas, os perdões reaparecem no final, mas tudo se foi, há coisas que não têm volta. Então, aproveitar cada oportunidade que nos é dada é essencial para que possamos nos redimir dos erros passados e acertarmos cada vez mais em busca de paz e amor. E pros solteiros, existem muitas formas de amar. Pros namorados, há aquela que é mais forte, apesar de não ser.
Em meio a brigas, a corações partidos e ilusões perdidas, a gente cresce, mais que podíamos se estivéssemos solteiros. É claro que se aprende muito estando solteiro, mas se aprende mais com o outro do que com nós mesmos. É aquilo que te irrita no outro que te domina, que te mostra o quanto estamos perto de sermos parecidos ou até mesmo iguais. É o medo de não saber lidar, de magoar, de tudo acabar. É insegurança, é a paixão que domina e que nos seduz, lutando contra a consciência que nos lembra sempre que o amor é incondicional e perfeito em sua singularidade e bondade. É generoso, bondoso, benevolente. É altruísta e seguro de si. Porque nada destrói o amor verdadeiro. Ah! O amor... Nem as discussões, nem as rugas, nem as fotos desbotadas. O que é verdadeiro é para sempre. Vai além do céu e da Terra. Vai além de tudo que podemos dar nome. Porque ainda somos muito humanos para amarmos e destas muitas vezes que tentamos, é preciso força e superação pra tentarmos aprender.
A vida nos dá muitas chances para amarmos, basta deixar o coração falar mais alto. Se decepcionar é importante pra perceber os erros e desfazer as ilusões. Com o isolamento só temos a perder, perdemos de ganhar o que a vida quer nos dar. E tudo isso é um grande medo de não saber lidar com as dificuldades, com as fases de tempestade. Mas tudo passa, é preciso persistência. Não há nada que não possa ser mudado e que não possa ser vencido.
Nunca se esqueça: em conjunto, somos mais do que em solo.

Solteiro



Namorar é bom. Namorar é maravilhoso, é divino, romântico, mimoso, lindinho, apaixonante. Namorar é uma beleza. Amar alguém e ser correspondido, construir uma relação sólida, descobrir uma parceria incansável, um amor sem limites, uma felicidade aparentemente inesgotável, tudo isso é maravilhoso. É bom o sexo, o beijo, o abraço e até as mãos dadas, tamanha aquela cumplicidade que se cria. Mas isso tudo é bom mesmo na poesia. Nas letras românticas, nas fotos apaixonadas. Mas, na vida real, vai me desculpar mas não existe nada melhor do que ser solteiro.

Ser solteiro não significa ser sozinho, nem mal amado nem infeliz; não significa viver de festas ou sem responsabilidades ou ter que dormir com sete pessoas diferentes ao longo da semana para se sentir feliz e realizado. Significa não ter hora para voltar, não se sentir 'culpado' ao admirar aquele alguém na rua, não pensar duas vezes antes de beijar aquela boca que há tanto lhe provoca, não hesitar diante de conversas 'comprometedoras', não sentir remorso ao perceber que não pensou em alguém o dia inteiro (como muitos namorados acreditam que deva ser) e não sentir vergonha de ser feliz e de encher a boca para se declarar solteiro. Ser solteiro é não se preocupar com depilação ou com mau hálito ou em comer um pote inteiro de sorvete se der vontade. É se preocupar em agradar somente a si mesmo, sem hábito para prender e sem  rotina pra deter. Ser solteiro é uma maravilha, é um presente. É ter a cama toda para si, ver o filme que se gosta sem medo da opinião do outro, é poder ouvir música brega e dançar de roupa íntima pela casa. É ir ao cinema ou ao restaurante sozinho. É, para mim, a ausência de qualquer medo de uma reprovação. Ser solteiro sim que é uma beleza. Invejo meus amigos solteiros, invejinha boa mas invejo.

Ser solteiro é não acreditar que exista a metade da laranja, e sim alguma laranja complementar, afinal graças aos céus nascemos todos perfeitos (e inteiros!). É entender que estar solteiro é bom, e que não é necessário vivermos a vida inteira procurando por alguém com quem juntar as escovas de dentes. É mais do que procurar ao outro, é tentar encontrar a si mesmo. Ser solteiro é uma oportunidade de se (re)conhecer, de reformar o que não agrada mais, de jogar todo o resto fora e paciência se alguém se incomodar. Ser solteiro é a chance de admirar sua própria companhia, de satifazer-se consigo mesmo. É poder ser feliz, mesmo sem ter um companheiro. É sentir ser completo, mesmo que alguns te considerem metade.

E quem não concorda que me desculpe, mas aí não é solteiro. É sozinho.


terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Força!

Nem sempre as coisas são fáceis ou da maneira que nós desejamos. Em algum momento alguém vai te ferir, te magoar, te partir em mil pedaços, mesmo que não seja a intenção. Sempre vai haver algo que não vai sair como o planejado, um momento onde o trem vai sair do trilho, onde castelo de cartas vai desmoronar. Mas mesmo assim não podemos nos entregar. Podemos (e devemos) desistir daqueles qie não nos fazem mais tão bem ou que não nos amam ou não acreditam nos amar o quanto merecemos ser amadas, ou quando parecem não mais se importar com nossos corações partidos. Podemos desistir daqueles que desistiram de nós, que desistiram porque não dava mais, porque não queriam, porque não tentaram. Desistiram, e o problema é deles.

Não podemos é desistir de nós mesmos. Não podemos nos entregar à dor, deixar que ela faça moradia nos nossos corações, deixar que ela invada e corrompa o que temos de mais bonito. Não podemos nos dar ao luxo de apenas assistir a vida enquanto ela passa, corre, voa! Desistir de alguém que nos fere é uma questão de tempo e bom senso. Desistir de nós mesmos é a pior das rendições. É a rendição à infelicidade, ao desamor, ao precipício da tristeza. Desistir de nós mesmos é covardia, pra não dizer pecado.

Portanto, força nos joelhos, nos punhos e no coração. Força para erguer a cabeça, para dizer sim ou não, para seguir adiante; força para reabrir os olhos, para admirar o mundo de uma nova maneira, para acreditar novamente no amor. Força para caminhar a estrada da vida, e não mais vê-la passar, para seguir o teu caminho, para trilhar a felicidade. Força para estufar o peito e encher o coração de amor. para continuar linda, maravilhosa e para acreditar nisso. Para se amar mais do que a qualquer pessoa. Mas principalmente, para poder enxergar que realmente és fonte de toda essa força que eu falo.

O que é - Simpatia

"Simpatia - é o sentimento
Que nasce num só momento,
Sincero, no coração;
São dois olhares acesos
Bem juntos, unidos, presos
Numa mágica atração.

Simpatia - são dois galhos
Banhados de bons orvalhos
Nas mangueiras do jardim;
Bem longe às vezes nascidos,
Mas que se juntam crescidos
E que se abraçam por fim.

São duas almas bem gêmeas
Que riem do mesmo riso
Que choram nos mesmos ais;
São vozes de dois amantes,
Duas liras semelhantes,
Ou dois poemas iguais.

Simpatia - meu anjinho,
É o canto do passarinho,
É o doce aroma da flor;
São nuvens dum céu d'agosto
É o que m'inspira teu rosto...
- Simpatia - é - quase amor!"

(Casimiro de Abreu)

ahhhhhh!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Pôr-do-sol


 É quando o sol desce que bate aquela saudade de quem amamos. É quando ele nos beija com seus últimos raios que sentimos o calor como o de um abraço forte, como os braços daquele alguém que está tão longe. Nada mais bonito que a combinação de um sol descendo mansinho pelo horizonte, iluminando as nuvens pintadas no céu, e do brilhar de um coração apaixonado. É quando o sol desce que o sorriso abre, solto e leve; é quando o sol desce que enxergamos o quanto a vida é bela. Nada tão perfeito quanto um pôr-do-sol, seja ele para admirar sozinho ou acompanhado, na beira do mar ou pela janela da cozinha, de mãos dadas com o amor, com um amigo ou um bom livro. Seja ele assistido em silêncio ou com uma declaração de amor sussurrada no ouvido, seja deitado aos últimos raios do sol que se despede ou de pé, ansioso pela noite que vai chegar. É quando o sol se põe que acreditamos na continuidade, num ciclo imutável e perfeito - o ciclo da vida, a certeza de que por mais escura que seja a noite, amanhã pela manhã ele volta, para nos brindar com sua luz e com todo seu calor. É quando o sol se põe que quero dizer palavras bonitas, declarar meus amores, minhas alegrias e felicidades. É quando ele se põe que eu paro para pensar em tanta felicidade, que o coração se enche de amor e daquela certeza de um amanhã melhor, quando ele voltar a entrar, pela minha pequena janela, a me desejar bom dia.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Enquanto Ela Não Chegar

"Quantas coisas eu ainda vou provar?
E quantas vezes para a porta eu vou olhar?
Quantos carros nessa rua vão passar
Enquanto ela não chegar?
 

Quantos dias eu ainda vou esperar?
E quantas estrelas eu vou tentar contar?
E quantas luzes na cidade vão se apagar
Enquanto ela não chegar?
 

Eu tenho andado tão sozinho
Que eu nem sei no que acreditar
E a paz que busco agora
Nem a dor vai me negar
 

Não deixe o sol morrer
Errar é aprender
Viver é deixar viver
 

Quantas besteiras eu ainda vou pensar?
E quantos sonhos no tempo vão se esfarelar?
Quantas vezes eu vou me criticar
Enquanto ela não chegar?
 

Eu tenho andado tão sozinho
Que eu nem sei no que acreditar
E a paz que busco agora
Nem a dor vai me negar
 

Não deixe o sol morrer
Errar é aprender
Viver é deixar viver..."

(Barão Vermelho)

Um Pouco de Nada



É impressionante o jeito que a minha cabeça fica quando tenho coisas demais a fazer: ligo o automático. Há dias parece que ando ausente, meio stand-by, meio apática talvez seja o termo. A minha rotina ligou o piloto tão mas tão automático que eu esqueço de perceber as coisas ao meu redor, pareço um robô sistematizando tarefas, deveres e obrigações. Parece que meu coração anda congelado aqui dentro, apesar dos quase trinta graus lá fora; parece como se eu estivesse esperando o ônibus chegar, enquanto cada minuto da vida passa dentro dos carros apressados e que não me permitem mais nada além de virar a cabeça e perseguí-los com os olhos, as pernas não conseguiriam mais. Tive a impressão de que minha vida anda passando por mim, voando... e tão mal educada quem nem acena. E nessas horas eu paro e me pergunto: Por que a gente tem que crescer? Por que a rotina tem que ser tão esmagadora a ponto de não me deixar mais enxergar a beleza num pôr-do-sol, em algumas palavras no celular, em uma música que não seja ouvida somente para passar o tempo enquanto tô me transportando? É como li hoje, em um texto da Martha Medeiros (chama Abreviados). Vivemos a cada dia vidas mais miseráveis, não só como aqueles miseráveis sem comida nem saúde nem teto, mas fartas de misérias interiores... Corrompidos pela pressa, cegos pela rotina, atordoados por tanto barulho. É, acho que preciso de férias.

"Eu vejo miséria por todos os lados, em todos os andares dos edifícios, dentro dos carros, fora deles, em portas de escolas e dentro delas, do lado de fora da nossa casa ae também ali comodamente instalada, miséria espiritual, miséria afetiva, miséria intelectual, indigências que tornam o ser humano cada dia mais tosco e bruto. Eu sei que a vida é assim mesmo, que os tempos são outros, que não adianta vir com moralismo e com este papo de que a família tem que participar mais da vida dos filhos, nada adianta, o rio vai seguir correndo para a mesma direção. Eu sei. Mas não me conformo." (Martha Medeiros)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

conselho

Se você que ser feliz, mande embora seu "severo juiz", ouça seu coração. Valorize o que sente e seja uma pessoa verdadeira. Assuma seus sentimentos. Só diga sim depois de sentir o que realmente quer. Não tenha receio de dizer não. Deixe de contar seus problemas aos outros e perguntar o que deve fazer. Confie em seus critérios. Você pode! Experimente.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Pudim

Pudim






Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir Pudim de sobremesa, contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente um pedacinho minúsculo do meu pudim preferido.  Um só.

Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um pudim bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.


O PUDIM é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.

A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade.  A gente sai pra jantar, mas come pouco.

Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.

Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').

Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta.

Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo, mas tem medo de fazer papel ridículo.
 
Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar.
E por aí vai.


Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...
 
Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão...
 
Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'..
Deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos.


Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito.  Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim: 'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'...

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar vários pedaços de pudim, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo.
Um dia.
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga:
um pudim inteiro um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order', uma caixa de trufas bem macias e o Richard Gere, nu, embrulhado pra presente.
OK?
Não necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago.

Martha Medeiros

Dezembro


O mês da correria, dos presentes, dos planos, dos sonhos, das reformas, consertos, do cartão estourado, da fila na Renner, dos números esgotados, dos exames, do sufoco, das expectativas, das esperanças. É o mês do Natal, dos anjinhos, do jingle-bells, da família reunida para comer peru ou chester ou algo que o valha, de comer frutas em calda, frutas cristalizadas, de dar pulinhos no mar, de reescrever listas com objetivos que sabemos que jamais serão cumpridos. Dezembro é o mês de arrumar o que está errado, ou pelo menos tentar. Dezembro é o mês da (re)conciliação, é o mês em que os sinos badalam enlouquecidamente, é o mês dos caminhões enfeitados da coca-cola. Mas, além de tudo isso, dezembro é o mês do amor.

É onde podemos dizer sem medo e sem vergonha todas aquelas coisas que desejamos a quem amamos, é o mês onde o coração se enche de esperança e bons sentimentos e é em dezembro que almejamos ser pessoas melhores para o próximo ano, prestes a começar. Admito, eu adoro o Natal e o Ano-Novo. Por mais que eu saiba que grande parte das minhas metas não vão ser cumpridas, só o fato de criá-las já me faz perceber que quero ser uma pessoa melhor, não só para os outros mas também para mim mesma. E se pensarmos um pouco melhor, acabamos cumprindo metas que nem estavam no caderninho, para compensar aqueles quilos que prometi perder e não perdi. Fiz o bem a algumas pessoas que nem entraram na lista, fiz o bem a mim mesma com algumas pequenas atitudes, então acho que o saldo desse dezembro é positivo.

Com certeza ainda há muito a melhorar. Quero ainda poder dar muito mais do que eu julgo possível; quero, como grande parte das pessoas nessa época do ano, ser uma pessoa melhor e mais feliz. Quero me sentir completa, amável (sim, sem ser amável não se pode ser amada) e realizada; quero estar satisfeita. O balanço desse ano é positivo, a lista não teve todos os itens realizados como eu sei que nunca acontece mesmo, mas itens muito mais importantes, que eu mesma havia esquecido de anotar, acabaram por cumprir-se. E fazer o bem, ficar feliz, é para mim muito mais importante do que a promessa de manter o quarto limpo ou daquela meia dúzia de quilos, que certamente vão ficar para 2010.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

1º de Julho

"Eu vejo que aprendi
O quanto te ensinei
E é nos teus braços que ele vai saber
Não há por que voltar
Não penso em te seguir
Não quero mais a tua insensatez


O que fazes sem pensar aprendeste do olhar
E das palavras que guardei pra ti
 

Não penso em me vingar
Não sou assim
A tua insegurança era por mim

Não basta o compromisso
Vale mais o coração
Já que não me entendes, não me julgues
Não me tentes
 

O que sabes fazer agora
Veio tudo de nossas horas
Eu não minto, eu não sou assim
Ninguém sabia e ninguém viu
Que eu estava a teu lado então
Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher
Sou minha mãe e minha filha,
Minha irmã, minha menina
Mas sou minha, só minha e não de quem quiser
Sou Deus, tua deusa, meu amor..."



Renato Russo

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

É preciso



É preciso que estejamos abertos para o mundo. Não basta reclamar que as coisas não vão bem, que os amores não correspondem, os trabalhos não vingam e a felicidade não chega, é necessário fazer muito mais que isso. Abrir olhos, ouvidos e o coração para o mundo e para todas as suas coisas, prestar atenção aos pequenos presentes que a vida nos dá todos os dias e aprender a admirar e valorizar cada uma dessas minúsculas sementes da felicidade que sozinhas nada mais parecem do que pequenos grãos mas, se somadas, tornam-se geradores de fartos frutos e criadores de raízes sólidas e de felicidade duradoura. São as pequenas sementes que espalhamos durante a nossa jornada as que gerarão os frutos a nos rodear no futuro.

 Aprender a se dar mais, a cobrar menos, a reclamar menos e a agradecer muito mais são lições sobre as quais ainda tenho muito a aprender. Sobre simplesmente plantar o amor, sem esperar colher nada em retorno. Somente um coração encharcado de amor é possível de se abrir para o mundo e se livrar de sentimentos inferiores e entristecedores. Somente neste solo fértil de amor é possível plantar sementes e ter a certeza de que irão florescer em segurança; somente com a mão estendida podemos ajudar e ser ajudados. E, quando o coração se enche de amor e não espera retribuição alguma é que ela vem, para nos mostrar o quanto nossas atitudes são válidas e, mesmo pequeninas, se tornam grandiosas. É ajudar a um por dia, mesmo se esse um for somente a si mesmo. Ajudar a fazer nascer um dia azul, a brotar um sorriso no rosto, a florescer o amor. O amor sem objeto, aquele amor desprendido... O amor pelo mundo, incondicional.

"A vida só se dá pra quem se deu."

Mudanças

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. Muda-se o ser, muda-se a confiança; Todo o mundo é composto de mudança. Tomando sempre novas qualidades. Continuamente vemos novidades Diferentes em tudo da esperança. Do mal ficam as mágoas na lembrança. E do bem, se algum houve, as saudades. O tempo cobre o chão de verde manto que já coberto foi de neve fria. E em mim converte em choro o doce canto. E, afora este mudar-se cada dia, outra mudança faz de mor espanto: que não se muda já como soía.

Camões

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

É...

Queria que todas as pessoas fossem felizes, realizadas, completas, amáveis.
Queria que no mundo não houvesse tanta desordem, tanta sacanagem, tanta burrice.
Queria que os amores fossem correspondidos, os sonhos concretizados e a vida feito comercial de margarina.
Queria que os amigos fossem eternos, como também os amores e a pele dos vinte anos.
Queria tanta coisa.

Mas hoje, na verdade, eu só queria é não ter tanta gente desagradável pra cruzar o meu caminho.


PEPEÔ

domingo, 6 de dezembro de 2009

Desejos


Desejo a vocês...
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho.
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu.

Carlos Drummond de Andrade

sábado, 5 de dezembro de 2009

Perdoe sempre!

"Auxilia aos outros, sem a preocupação de receber o amparo alheio.
Tudo aquilo que fizermos agora, será aquilo que colheremos depois.
Consideremos, porém que a fim de sanar os desajustes na engrenagem de nosso relacionamento recíproco, o Senhor nos concede a bênção da compaixão.
Se anotas a presença de amigos candidatos ao discemimento maior com as falhas naturais pelas quais se identificam, compadece-te deles e ampara-os com as forças ao teu alcance.
Abraça o trabalho do bem aos outros com alegria.
Aprende a colocar com o bem do próximo, na convicção de que ninguém progride a sós.
Trabalha e serve constantemente.
E certifica-te de que, onde o pensamento positivo do bem prevaleça, ai brilha o caminho do aperfeiçoamento de nossas almas para Deus, fortalecendo-nos para que estejamos na realização do melhor.
Em qualquer situação difícil, aparentemente insolúvel, usa mais paciência, porque a paciência é construção da alma sobre os alicerces da fé em Deus e, aplicando mais paciência onde estiveres, em quaisquer tribulações que, porventura te apareçam, claramente vencerás. "

Emmanuel

Perfeito para Ignorar

"Quero um beijo, um abraço,
dos cigarros quero um maço,
quero fugir de mim.

Quero um escape, uma saída,
um fim de tarde na avenida,
quero ouvir teu sim.

Quero um verso, uma carta,
uma frase estruturada
sem começo, meio ou fim.

Quero que digas, bem sincero,
"se tu fores eu te espero",
qu'eu não quero perder-te assim."

Gabriela Gil

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Eu Quero Assim!

    Se for pra casar, que seja assim.

Sem Tempo

Não pense que minha ausência no blog é falta de assunto porque, muito pelo contrário, minha cabeça tem fervido de ideias nesses últimos dias. O que tá faltando é tempo mesmo, é aquele período da maldita correria de dezembro. Provas, trabalhos e sempre algo pra dar incomodação. Tenho muita coisa pra contar... Assim que eu conseguir parar pra respirar, prometo que volto.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Tempos de Agora


Tempos loucos. Tempos insanos. Tempos conturbados. Nesses tempos é que eu me perco, me procuro e me reencontro. Mas não deixam de ser tempos malucos esses tempos em que eu caminho só. Tempos em que o tempo passa voando, enxugando os afazeres, reprimindo o pensamento, desiquilibrando as emoções. Tempos de decisão, de mudança, de contrastes. Tempos de rever. Tempos de espera. Tempos de esperança. Ah! Esses tempos de agora. Tomara que se tornem passado amanhã.

sábado, 28 de novembro de 2009

Dever

"O dever é uma coisa muito pessoal; decorre da necessidade de se entrar em ação, e não da necessidade de insistir com os outros para que façam qualquer coisa."
Se queremos mudanças, devemos começar por nós e, assim, poderemos servir de exemplo para o próximo.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Que O Pra Sempre...

Quantas vezes já pensamos que algo nunca iria ter fim? Quantas vezes choramos por um coração partido, por acreditarmos que ele nunca mais conseguiria se recompor, não sabemos. Não teríamos dedos para contabilizar as inúmeras ou, ao menos, diversas vezes em que juramos que aquilo seria eterno. Sejam amores, amigos, dores, alegrias, certamente todos já pensamos que algo duraria infinitamente. Fosse aquela dor que arrebatava e partia, desmanchando o peito em centenas de cacos e que, com o tempo, acabamos por colocar de volta no devido lugar ou fosse por aquela felicidade de enxergar dias azuis sem fim.
Quantas vezes pensamos que não poderíamos suportar? Que o fardo era pesado demais, que a força não seria suficiente e que o corpo a qualquer momento poderia desmoronar de tamanha exaustão... E aqui estamos, depois de tantas provas e certos de que muitas mais estão por vir e que, muito provavelmente, nos tratão muitas mais dificuldades e lições do que jamais poderíamos imaginar. Aqui estamos, mais fortes do que viemos e mais fracos do que estaremos amanhã; muitas vezes convictos de que o que possuímos hoje é eterno, até que o vento mude, a maré suba e tudo nos seja arrancado novamente.
Cada vez mais me convenço de que talvez o caminho seja buscar a felicidade, a satisfação imadiata e não crer que tudo que nos é dado nunca será tirado. Por mais que lutemos por nossos sonhos, não estamos livres deles serem arrastados por uma das muitas tempestades que assolam nossas vidas de tempos em tempos. Cada vez mais resisto ao sempre e ao nunca, ainda mais quando ouço Cássia Eller me ensinando lentamente na sua canção que, não adianta... O pra sempre, sempre acaba.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O Que Eu Peço




Não preciso de outdoors com grandes declarações de amor a toda semana para ser feliz. Não preciso de faixas penduradas na frente da minha casa ou no meio da cidade com palavras apaixonadas para me sentir completa. Não preciso de uma tatuagem que cubra metade do corpo do outro para entender que sou amada. Na verdade, eu não acredito que preciso de muita coisa.

Posso estar enganada, mas acho que peço pouco. Sou chata, ah se sou. Tenho minhas manias, faço manha, bato pé, incomodo. Mas qualquer coisa pequena já me agrada. Não peço presentes caros, demonstrações públicas de paixão ou saltos de paraquedas como provas de amor, até porque não acho que isso prove alguma coisa. Para mim, teu sorriso basta. O que eu peço é a mão colada, o abraço apertado, uma ligação fora de hora, um passeio na beira da praia, aquela preocupação quando a dor de cabeça me incomoda e o carinho com que a tua mão encontra o meu cabelo.

O que eu preciso são teus olhos vigiando meu sono, me fazendo cócegas e quase me matando quando preciso acordar cedo. O que eu peço é o olhar sincero, a alegria infinita e aquela palhaçada de sair com as minhas roupas pela casa; uma tarde tomando sorvete e uma noite com os amigos. O que eu peço é toda maluquice, toda alegria e todos os sonhos que nos rodeiam. São os planos, os objetivos, as pequenas conquistas. O que eu peço é aquela vontade de realizar. Mas o que eu mais peço, sinceramente, é pra isso nunca acabar.


E tudo o que eu peço, ah...Só tu sabes me dar!


P.S.- principalmente quando se trata de massagem no pé e sorvete na cama, aí só tu mesmo.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Dia


Muitas vezes a gente diz que algo é engraçado, quando na verdade, é triste, irônico, fatal. Eu ia começar dizendo que era engraçado esse misto de emoções humanas, você já se perguntou quantas coisas pode sentir em um só dia? Meu Deus, hoje eu vi: infinitas. São infinitas as sensações. Qunto mais nos misturamos, nos relacionamos, mais vamos coletando essas informações sentimentais codificadas pela razão e emoção. E na verdade, é engraçado a beça. Somos elevadores em potencial, ou melhor, montanhas russas, pois podemos subir e descer num piscar de olhos. Numa mudança tão radical, que nem lembramos por onde começamos essa loucura toda.

Hoje senti de tudo. Senti esperança, sim, de um mundo melhor com sorrisos e olhares, com elogios e conversas agradáveis. Senti reconhecimento. Senti, também, vergonha e fiquei vermelha. Senti conforto e consolação com uma pessoa em especial e muito especial que me abraçou quando eu estava desmaiando de calor e cansaço, que me pagou o almoço e o sorvete. Senti preocupação com as coisas que não se resolvem facilmente. Senti indignação com aqueles que só pensam em si mesmos. Senti um afeto gostoso e sincero de um amigo distante que me quer bem e que sempre tem uma palavra acolhedora para me acalmar e para me fazer sentir leve. Senti calor, senti o vento que me levou ao encontro inesperado de alguém que já não faz mais parte dos meus dias, mas que sinto que ainda tenho algumas contas para acertar, foi aí que senti arrependimento, logo depois passei para o sentimento de perdão, de aprendizado e por fim de resignação. Sim, porque para chegar onde estou, tive muito que aprender com meus erros e sofrer por isso já não cabe. Senti descontrole, humor exagerado, desespero da exaustão. Senti um alívio, após, com a chegada da Lua, e com meus queridos companheiros de estudo. Senti uma vibração linda, de entes queridos que já se foram, e de, tavez, alguém que eu começo querendo muito bem há pouco. Senti um olhar de admiração e carinho, um olhar de "nós não nos conhecemos de algum lugar?". Me emocionei, lágrimas caíram com histórias bonitas, histórias literalmente de outro mundo. Um convite para voltar, um sorriso aberto, uma sintonia de pensamentos e dom. Vi sofrimento também no fundo, não sei bem por quê, mas senti uma inquietude que me fez pensar. Mas isso não importa agora. Mudado de ambiente, por fim, senti decepção, sempre espero mais do que deveria. E de novo, senti esperança que agindo pelo bem e para o bem, as coisas tem jeito, as pessoas podem mudar, e as relações melhorarem. Influenciar, inspirar, espiritualizar aos que nos rodeiam com nosso exemplo. Não deve-se obrigar ou insistir com alguém a fazê-lo enxergar e, sim, mostrar-lhe o quanto a vista da nossa janela é bela, convidando-o para ver ao nosso lado.

Um dia de emoções. Como todos. Hoje eu só parei para reparar.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Sol


Difícil apagar as imagens contraditórias e infelizmente verdadeiras do eu passado. Ah! O eu passado, adormecido ou esquecido em algum lugar, um lugar que não quero achar nunca mais. Tarefa árdua e prazerosa, porém, essa de mostrar a nova face, a nova moldura e o novo recheio. Forma-se um abismo entre os antigos prazeres, a antiga conduta com aqueles que já ficaram para trás e já não me acompanham mais nos dias de hoje. Ah! Se eles pudessem me ver! Se eu pudesse me ver há uns anos atrás. Se pudesse fazer tudo diferente, não faria. É ótimo ver o quanto se pode crescer e amadurecer. É marvilhoso expandir os horizontes, deixar as velhas mágoas, reflorescer, sim! Como um Girassol. No meu presente todos os dias são de Sol. E só tende a melhorar. Meu espaço, meu mundo, meu povo. Tudo será grandioso demais para ficar abafado e criticado. Tudo será simplesmente grande!

"A vida é construída nos sonhos e concretizada no amor."

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Não duvide


Não duvide da força que uma amizade pode ter. Não cogite que não estarei lá para aliviar os sofrimentos, para alegrar o espírito, para comemorar e ajudar no que for preciso. Não ache que não estarei lá para alertá-la e repreendê-la ou que não saberei entendê-la e sempre que for necessário defendê-la de tudo e de todos. Não pense que não estarei lá para protegê-la daquelas pessoas que querem o mal das outras. Não pense que não estarei lá para incentivá-la e ampará-la nos tantos caminhos perigosos que a vida tem. Não duvide que não estarei lá para afundar no mesmo navio, para que, assim, tenha uma chance de salvá-la, mesmo que o preço a ser pago seja o meu viver. Não pense que não sei o quanto é puro e sincero o meu sentimento. Não insiste em achar que os nós atrapalham os laços, ao contrário, os tornam mais firmes. Não menospreze os meus votos de carinho e compaixão. Não tema que o que não pode se acabar, venha por ter fim. Não julgue as fraquezas, assim como não julgo as suas. Não pense que não estarei lá para pregar o amor, o perdão e o melhoramento dos dias, em busca de dias mais felizes. Além de ser meu dever, é minha conduta, é minha missão, é minha consciência, é o bem querer em se querer bem. Em querer o melhor, não para mim, e sim, para nós. Pois para mim seria muito triste evoluir só. Minha alma companheira, seria impossível deixá-la. Não viveria tão feliz como nos dias de hoje. Acredito, que onde tu vás, eu te seguirei. Até os fins dos dias. Até o fim do que chamam de infinito. Então, me perdoa, por não ter sido tudo que podia. Mas o que mais me atormenta no mundo é o medo que teus sentimentos sejam rancorosos e tristes por mim. É somando nossas sabedorias que chegaremos mais longe. Ninguém é melhor ou pior que ninguém. Uns precisam mais de apoio, outros de afeto, outros de ajuda, outros de atenção, outros de sentido. Todos somos almas carentes e imperfeitas. O importante é termos consciência disso e nunca deixar os maus sentimentos nos dominarem. O amor espanta todos os males. Deixemos que só ele possa fazer moradia em nossos corações. No fim, com certeza, agradeceremos.

Por onde andei


"Desculpe, estou um pouco atrasado. Mas espero que ainda dê tempo de dizer que andei errado e eu entendo. As suas queixas tão justificáveis e a falta que eu fiz nessa semana. Coisas que pareceriam óbvias até pra uma criança. Por onde andei enquanto você me procurava? E o que eu te dei? Foi muito ou quase nada? E o que eu deixei? Algumas coisas penduradas?"


Não se pode voltar atrás. A vida é um caminho, uma estrada sem volta. E as histórias são feitas, são escritas, roteiros que não podem ser mudados. Erros cometidos, desculpas ditas. Mas é exatamente o que as pessoas são, o que muda o caráter das histórias. É a sucessão de minutos, de escolhas, de atitudes que transparecem os sentimentos - mesmo aqueles que tentamos esconder embaixo da máscara, embaixo da cama, embaixo de tudo. E o arrependimento é tão valioso quanto tentar colar um cristal que se quebrou em mil pedaços. É claro que eles ainda brilham, mas juntos, novamente, nunca mais.
O que se aprende dos tropeços de personalidade, da obscuridade dos objetivos é o que não queremos ser. O que não queremos repetir. Lamentar não é a melhor saída, talvez seja a pior. Não vai mudar nada, nem reconquistar quem se perdeu. Só atrairá mágoas, dor e tristeza. Melhor pensar positivo. Caminhamos rumo a evolução. Somos os erros de ontem, os progressos de hoje e os grandes feitos de amanhã. Somos todo o caos, endividados com uns e queridos por outros. Se estamos tentando nos tornarmos melhores, não há nada o que temer. A vida nos dá muitas chances para nos redimirmos. E muitas vezes, há tesouros muito melhores esperando por nós. Os verdadeiros tesouros. Os quais foram feitos e moldados para nós. Esperavam justamente pela nossa procura. Porque dessa vez, dessa única e rara vez nós, sim, merecemos achá-lo.
O destino não nos é falho. A vida caminha pro melhor e, pro melhor, nós iremos.

sábado, 21 de novembro de 2009


"A paz legítima emerge do coração feliz e da mente que compreende, age e confia"

Aquele Alguém


Como é bom saber que temos alguém para nos estender a mão. É bom saber que temos aquele alguém que pensa em nós e que nos deseja tamanhas alegrias quanto as que os desejamos. É tão bom ter amigos, irmãos e amores. Alguém com quem partilhar lágrimas e sorrisos, sonhos e conquistas, passado e presente e futuro. Uma bênção é possuir o coração leve pela presença daqueles que nos engrandecem e iluminam; ter na vida nem que seja um único alguém que fortaleça, acrescente e enobreça os nossos corações e nossas vontades.
Aquele alguém para quem ligar quando tudo parece dar errado, ou que com um simples abraço consiga afastar todos os males do coração. Companhia para acampar, conversar, animar, dançar, chorar, suar, beijar, pichar, beber, sofrer, correr, fazer qualquer coisa ou não fazer absolutamente nada. Alguém para dividir, somar, multiplicar e realizar; alguém com quem sonhar junto. Para desejar todo o bem e toda a felicidade do mundo, para nos ensinar o significado da lealdade, alguém com quem desvendar de mãos dadas o universo mágico e infindável do amor. Aquele alguém que desperte os desejos, que faça nascer sorrisos e até mesmo lágrimas de felicidade; que emocione, fascine e desperte em nós toda a capacidade de amar e admirar. Alguém que tanto faz se do mesmo sexo ou do oposto. Alguém que tanto faz se é de sangue ou não. Aquele alguém por quem, sem hesitar, se daria o mundo.

Para lutar, crescer e vencer junto. Aquele alguém em quem confiar.

P.S.- ainda bem que vocês existem. dá pra perceber o porquê da imagem né? :)

Busca Vida


"Vou sair pra ver o céu
Vou me perder entre as estrelas
Ver daonde nasce o sol
Como se guiam os cometas pelo espaço

E os meus passos
Nunca mais serão iguais

Se for mais veloz que a luz
Então escapo da tristeza
Deixo toda a dor pra trás
Perdida num planeta abandonado

No espaço
E volto sem olhar pra trás..."
(Paralamas do Sucesso)

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A pescaria


Pescaria.. Ah! Mas que bela pescaria. Ando pescando corações tristes e os transformando em alegres, almas desesperadas e aflitas em serenas e calmas, decepção em aprendizado, deilusão em conforto, acasos em destino. Ando colhendo coisas maravilhosas! Sentimentos de paz interior, fé e coragem! Pessoas que brilham como estrelas, amigos impagáveis, reconciliações terrenas. Venho fazendo valer minhas palavras e minhas atitudes do bem e para o bem. Venho confirmando teorias e valores morais que é ajudando que saboreamos o doce gosto da caridadade, amor fraternal, agradecimento e melhora do próximo. Um trabalho que todos saímos ganhando, uma pescaria mútua, simbiose de evolução e alegria. Que muitos peixes venham brotar nas redes do meu coração e da minha benevolência! Que consiga sempre reparar os erros e as fraquezas, tornando cada vez mais o meu anzol firme e resistente.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009


"Going to the chapel of love
Bells will ring
The sun will shine (whoa-oooooh)
I'll be his
And he'll be mine
We'll love until
The end of time
And we'll never be lonely anymore..."
(The Ronettes)

P.S.- não sei como nunca tinha postado nada deles, é bom demais.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Lua de São Jorge!


Essa canção me acalma por ter tamanha beleza na melodia, nas palavras e no sentimento. Sinto-me como se estivesse vendo a Lua, mesmo de olhos fechados. Lembro de momentos que estive a observá-la, admirando seus pequeninos traços e formas. Sua intensa luminosidade que brilhava dentro do coração trazendo amor e conforto. Sim, de tão linda, sempre que a vejo, compreendo a imensidão da vida e que tudo está perfeitamente encaixado nessa vida, no plano espiritual, nos mundos, nas galáxias. Encaixado como ela, na imensidão do nosso céu. Companheira da Terra. Um astro tão belo que irradia, que incendeia, que abre caminhos. Tudo é perfeito na singularidade do conjunto sólido e eterno. Ela está lá a nos admirar, a nos amar de longe nos dizendo: "Segue! Viva! Vença! Olhe para mim, não os deixo jamais, estarei sempre aqui. Serei companheira, luz infinita, paz inevitável." E é assim que me sinto quando me paro a admirá-la. Sozinha ou acompanhada, não me sinto perdida, me sinto reconfortada e os problemas se vão. A força vem dela e de mim, em uma simbiosa perfeita, fico apta para enfrentar o que antes temia, para sorrir os motivos que antes não enxergava e ajudar aos que precisam. É energia que corre nas veias e faz o coração pulsar mais forte. É o amor que se instala. E com ele tudo que vem de bom.


"Lua de São Jorge, Lua deslumbrante, azul verdejante, cauda de pavão. Lua de São Jorge, cheia branca inteira. Oh! Minha bandeira solta na amplidão. Lua de São Jorge, Lua brasileira, Lua do meu coração, Lua de São Jorge, lua maravilha. Mãe, irmã e filha de todo esplendor. Lua de São Jorge brilha nos altares, brilha nos lugares, onde estou e vou! Lua de São Jorge brilha sobre os mares, brilha sobre o meu amor. Lua de São Jorge, Lua soberana, nobre porcelana sobre a seda azul. Lua de São Jorge, Lua da alegria, não se vê o dia claro como tu Lua de São Jorge, serás minha guiano Brasil de Norte a Sul!"

Caetano Veloso

domingo, 15 de novembro de 2009

Sem meio

Hoje eu só queria ir pro final. Chegar lá, no "felizes para sempre". A angústia, a pressa, a insegurança tá me matando por dentro, corroendo minha confiança e esperança que as coisas dão sempre certo, por mais que os caminhos pareçam ser tortos e confusos. Sempre dá, porque tudo sempre faz parte de um plano maior. Mas hoje, eu queria ir direto pro último capítulo. Sem demora, sem espera, sem meio.

sábado, 14 de novembro de 2009

Fim de Tarde

Pela minha janela eu consigo ver o fim de tarde... O céu pintado de laranja, amarelo e azul. O céu pintado à mão, um presente lindo para encerrar o dia. O céu pintado certamente por Deus.
Nessas horas é que eu tenho a certeza de que Deus existe. É beleza demais pra ser apenas acaso.

E dá licença que vou ali me debruçar na janela pra agradecer por mais esse dia lindo.

No Pagodinho

Já corri muito. Olhei muito pra frente, sem ter tempo nem alguma vontade de olhar pros lados. Já corri demais, mesmo sem nunca saber aonde ia com tamanha pressa. Já fui diagnosticada pela linguagem do corpo, e talvez seja por essa minha mania 'futurística' que uso óculos há razoáveis dez anos. A linguagem do corpo me diz que quem tem esses meus problemas de visão é porque se ocupa demais olhando pro futuro e acaba esquecendo de olhar para o presente. É, sou obrigada a admitir que tá certo. Corri, corri e cansei de perder o fôlego sem saber para onde vou. Agora vou caminhando, vou a pé porque ainda não tenho dinheiro nem pra bicicleta, mas não vou correr mais. Vou com a vida, vou com calma, vou na valsa.

Vou como me ensinou Pagodinho: Deixo a vida me levar.

P.S.- ...vida leeeeeeeva eu!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Hoje

Hoje me emocionei ao ver as fotos do aniversário de um ano da filha de uma amiga. E passa um filme todo na cabeça... É, a gente tá crescendo. Lembro de quando nos conhecemos, do vestido listrado de branco e cor-de-rosa que ela usava, das brincadeiras e da praia, das noites comendo e jogando e papeando. Lembro de quando ela me contou da gravidez, lembro da barriguinha crescendo devagar e do dia em que ela avisou que estava indo para o hospital. Lembro quando a filhinha dela nasceu, lembro que se fosse menino seria Otávio, lembro dos olhinhos azuis e de uma foto das duas ainda na maternidade. Lembro que ela foi embora, e nunca tive a oportunidade de beijá-la novamente, nem de beijar pela primeira vez a sua filha, que já completou um ano. Lembro também que não importa a distância, uma amizade verdadeira nunca vai morrer, por mais que o tempo passe e a rotina mude. Sei que termos nos encontrado não foi obra do acaso, e sim de um destino maravilhoso que trouxe mais um coração imenso e cheio de sorrisos para a minha vida. E sei que não importa aonde estejamos, meu pensamento e meu coração sempre terão aquele espaço reservado pra ela. Me emocionei de verdade, a filha dela já tem um ano, e isso significa mais de um ano que não nos vemos. Estamos crescendo, os caminhos mudando, mas a amizade é superior. Afinal, a amizade é um amor que nunca morre.

P.S.- com ela, tudo é "puro açúcar". love you sweet Lu

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Somos Um

"Você deve compreender que nem tudo vai ser só diversão, pois um dia, meu amor, a tristeza e a dor também virão. Mas vamos ficar juntos em todo lugar, quando não há caminho algum. Você vai nos seguir. E então vamos descobrir... Somos mais do que mil, Somos um! "

Oração


Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó Mestre, Fazei que eu procure mais Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna.



A força para derrotar a tristeza vem com o entendimento da vida e tudo que se refere a ela. Deixa-se a raiva para trás, a mágoa, o desespero. Afinal, não há injustiças, apesar de sermos humanos e termos um coração ainda frágil. Temos que ampará-lo com a fé, com amor e esperança de que tudo faz parte de um plano maior e por esse mesmo motivo, nos encatamos pela vida, bela e única em seu jeito sagaz de moldar nossos destinos para nos, enfim, ensinar. Todos os caminhos levam a um só. Não há como fugir da verdade absoluta do reino espiritual. Aceitar o inevitável não é desistir, nem ser fraco ou se submeter. Ao contrário, é ser forte para nossa simples e ainda pouco consciência do plano espiritual. É saber não sofrer, é saber ser melhor do que se é. É saber ser menos humano em um mundo que só pensamos em nós. É pensar com o coração. O amor une, vence, está a frente de tudo.
Ah.. a dor vai demorar a passar. Mas ultrapassar limites é onde o ser humano se supera, ironicamente. Vai dar tudo certo. Tudo se cura com o amor. Até mesmo o incurável. Força para nós, força para todos. Luz e paz. E muito mais. Pois a caminhada é longa, sendo eternos.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

My Girl


"I've got sunshine
On a cloudy day

When it's cold outside

I've got the month of may

I guess you'll say
What can make me feel this way

My girl,
My girl, My girl
Talking about my girl

My girl...

*
I've got so much honey

The bees envy me

I've got a sweeter song
Than the birds in the trees

Well i guess you'll say

What can make me feel this way

My girl
, My girl, My girl
Talking about my girl

My girl..."


(Temptations)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A Linda Rosa


Escrita pra mim...


"Agora sei não mais reclama

Pois dores são incapazes

E pobres desses rapazes

Que tentam lhe fazer feliz

Escolha feita, inconsciente

De coração não mais roubado

Homem feliz, mulher carente

A linda rosa perdeu pro cravo"


Maria Gadú

Nem

*
*
"Nem que eu bebesse o mar, encheria o que tenho de fundo..."

*
*

domingo, 8 de novembro de 2009

Em Uma Só


Tantas voltas a vida dá. São tantas as coisas que acontecem, acabam e nos deixam com a sensação de que o mundo inteiro vai desmoronar e que, no fim, acabam não significando mais nada. São tantas as emoções e tantos os personagens, sejam eles protagonistas ou apenas meros figurantes, que seria impossível manter todos em cena durante todos os capítulos dessa novela que se chama vida. São tantas as sensações, os cenários, que parece realmente que vivemos mil vidas em uma só, como se fossemos verdadeiros atores.

Coisas que há um tempo me atordoavam, hoje já não significam mais nada. Coisas que não tinham a menor importância, hoje se tornaram o cenário principal do roteiro atual. Nomes que não faziam o menor sentido, hoje não saem da minha boca. E olhando pra trás eu penso: "Como eu já gostei tanto daquela pessoa?", e muitas vezes não encontro dentro de mim a resposta. O que eu via naquela criatura, qual era mesmo a música que ele cantava? Aquele personagem está atirado, esquecido num canto da memória.

Somos os atores da vida, exatamente como aqueles das novelas. E quando surge um novo papel, um novo cenário, aquele antigo vai pra gaveta e fica lá até voltar num domingo de praia e nos fazer pensar. E chegar a conclusão que o bom disso tudo é que assim podemos ser vilões e mocinhos. Podemos ser bandidos e heróis, fortes e fracos, feios e bonitos. Podemos errar e recomeçar, com um novo penteado e uma outra trilha sonora. Podemos mudar os pares, os nomes, a história. Podemos ser felizes para sempre, por muitas e infinitas vezes.

Somos mil vidas - e mil chances - em uma só.

As curvas se acabam




Um brinde às pequenas revelações e comemorações de hoje. Um brinde a esse mundo que não pára de girar, às ondas incessantes desse mar que não param de chegar, às pessoas que mudam, às tranformações e às decisões que tomamos, todos as horas, por todos os dias de nossa existência.

Hoje um vento de mudança fez meu cabelo ficar um pouco bagunçado. Uma emoção só um pouco fora do padrão, do normal do resto dos meus dias molhou de leve meus olhos. Tirou minha calma, mas não minha paz, por uma meia hora. Fez eu saltitar até a cozinha e pegar o telefone. Gaguejando eu comemorei, rindo incessamente. O coração saltando pra fora do peito. Ansiosa, feliz, entusiasmado com a notícia. Ah! Esse louco rumo que damos aos caminhos que tomamos. Tudo de repente se encaixou e eu mais uma vez acreditei em destino.

Pode não significar grande coisa no futuro que se fará presente. Mas hoje, eu sonhei alto. E sonhei tanto que não queria acordar. Vou ter que dormir ou não, só pra ver o Sol nascer e parar de sonhar. Voltar à realidade. Porque talvez certas coisas não voltem no tempo. Certos momentos não se repitam. Ficaram gravados na nossa memória como belas lembranças e só. O tempo passa por nós, desfazendo laços e modificanto os sentimentos, as expectativas, a sintonia, enfim. E aí, tudo passou com ele.

Mas ficou guardado. Ontem e hoje. Amanhã, quem sabe.
Agora é tudo ou nada. Não é mesmo?


"Por favor me acuda
Eu vivo muito só
Se acaso numa curva eu me lembro do meu mundo
Eu piso mais fundo
Corrijo num segundo
Não posso parar
Eu prefiro as curvas da estrada de santos
Onde eu tento esquecer
Um amor que eu tive
E vi pelo espelho na distância se perder
Mas se o amor que eu perdi eu novamente encontrar
As curvas se acabam
E na estrada de santos não vou mais passar!"


(RC)




sábado, 7 de novembro de 2009

O Rei da Selva



No começo da espécia humana, o homem não estava contente em ser o que era. Portanto, reuniu os animais da selva para que lhe ajudassem com suas insatisfações. O homem dizia que se sentia inferior, sem grandes poderes, sem grandes bençãos divinas. Então, pediu velocidade. A onça, muito veloz, deu sua velocidade ao homem. Ele se sentiu poderoso, no princípio. Corria mais rapidamente, se movimentava mais rapidamente, assim, era melhor em várias aventuras, caçadas, lutas. Era inimaginável o que não poderia alcançar com toda aquela velocidade. Mas um dia, viu que não era o suficiente, então, queria força, dessa vez, foi o gorila que lhe deu força para caçar, lutar e sobreviver. O homem usou aquele presente para caçar, ter mais resistência para correr, escalar, atravessas rios. Mas uma hora, não era mais tão prazeroso. Precisava ser mais hábil, mais cuidadoso, mais silencioso. A cobra, singela e sinistra, lhe deu mais este poder. O homem ainda achava que faltava alguma coisa, então pediu ser mais ágil, para poder se desvencilhar melhor dos perigos. A lebre, lhe deu este presente. O homem agora se julgava invencível. Podia competir de igual para igual com muitos predadores. Era mais veloz, mais forte, mais ágil e silencioso. No início era como o paraíso. Eles se sentiam orgulhosos, vaidosos pelas tantas qualidades que obtiveram nos últimos tempos. Presentes abençoados dos animais da selva. Ainda não sabiam ao certo porque eles teriam feito isso, sem pedir nada em troca. O homem não sabia que o coração dos animais era puro. O homem sofria antes por se julgar inferior, incapaz. Os animais acharam que dando o que o homem queria, ele ia ficar satisfeito e realizado. Ia conhecer a paz que eles conheciam. O sentimento de se sentir valorizado, útil e feliz. Mas foi tudo uma grande ilusão. A natureza deu ao homem tudo que ele pedira. E ele queria mais, sempre mais. Até que pediu o governo da selva, o lugar do pódio, o trono do rei. O leão, rei da selva, refletiu durante dias, semanas, até que veio ao homem e lhe comunicou que daria mais esse poder. Que lhe deixaria tomar conta da selva e de tudo que pertencesse a ela. O homem deveria organizar, cuidar e protegê-la, mantendo o equilíbrio de todas as plantas, de todos os animais, do ar, da terra e da água. O homem, não podendo conter seu entusiasmo dentro de si, mal conseguiu agradecer, comemorando aos pulos e gargalhadas ele havia enfim triunfado. Era o rei, o dono das matas, dos animais. O ser mais capaz e mais inteligente para administrar a selva.
Se passaram alguns anos para que o homem não se sentisse mais tão realizado e feliz com a posição que havia assumido. De repente, a vida teria se tornado monótona, sem graça demais para ele. Não havia mais nada a pedir aos animais, eles já o haviam dado tudo que tinham para dar. A natureza estava parcialmente destruída, com certos danos remarcáveis, as coisas não eram mais como antigamente. O desequilíbrio da selva era notável e com potencialmente destrutivo. Tudo isso causado pelo desinteresse do homem e pela sua ganância, vaidade, egoísmo. Ele usara de suas habilidades para escravizar outros homens, para encurralar animais, até mesmo extinguir espécies e matar os de sua mesma. No lugar da esperança e da calma do vede, veio a solidão e a melancolia do cinza. Novos valores tomaram conta dos pensamentos do bicho homem. Novas formas de constituir tribos. Maiores e incrivelmente mais independentes e individualistas. A troca se deu por moedas e papéis. As coroas eram de ouro, o mesmo ouro que alguém sofria para buscar. Exploração, pobreza, desigualdade. Dor, tristeza, frustração.

Então o Leão, pensou no que ele teria feito! Teria dado a sua selva tão amada querida para um animal que só pensava em seu bem estar, ferindo aos outros, desiquilibrando o sistema essencial e natural das coisas. Mágoas, abandono, destruição. Isso não fazia parte de seu reino. Onde estara com a cabeça quando dera o trono para uma espécie tão inferior? Tão mesquinha e pretenciosa? Tão julgavelmente insana e lunática? Uns se julgam melhores, enganados pela vaidade que corrompe e corrói os coraçãos sinceros e puros. Por que cometi tamanha atrocidade com meus amados companheiros? Então, ele permaneceu em silêncio. Na verdade, um leve sorriso brilhou em seus olhos dourados. O homem precisava subir para cair e quando estivesse lá embaixo, a bera da ruína, do fracasso total, do abandono, ia dar razão as coisas essenciais que triufavam antigamente na selva: o bem e tudo que vem com ele. A paz, a união, a cordialidade, a compaixão, o companheirismo, a amizade, o amor. O leão ficou satisfeito, tinha cumprido seu papel de rei da selva. Ele havia salvado o homem, ironicamente, salvo por ele próprio.