terça-feira, 8 de dezembro de 2009

É preciso



É preciso que estejamos abertos para o mundo. Não basta reclamar que as coisas não vão bem, que os amores não correspondem, os trabalhos não vingam e a felicidade não chega, é necessário fazer muito mais que isso. Abrir olhos, ouvidos e o coração para o mundo e para todas as suas coisas, prestar atenção aos pequenos presentes que a vida nos dá todos os dias e aprender a admirar e valorizar cada uma dessas minúsculas sementes da felicidade que sozinhas nada mais parecem do que pequenos grãos mas, se somadas, tornam-se geradores de fartos frutos e criadores de raízes sólidas e de felicidade duradoura. São as pequenas sementes que espalhamos durante a nossa jornada as que gerarão os frutos a nos rodear no futuro.

 Aprender a se dar mais, a cobrar menos, a reclamar menos e a agradecer muito mais são lições sobre as quais ainda tenho muito a aprender. Sobre simplesmente plantar o amor, sem esperar colher nada em retorno. Somente um coração encharcado de amor é possível de se abrir para o mundo e se livrar de sentimentos inferiores e entristecedores. Somente neste solo fértil de amor é possível plantar sementes e ter a certeza de que irão florescer em segurança; somente com a mão estendida podemos ajudar e ser ajudados. E, quando o coração se enche de amor e não espera retribuição alguma é que ela vem, para nos mostrar o quanto nossas atitudes são válidas e, mesmo pequeninas, se tornam grandiosas. É ajudar a um por dia, mesmo se esse um for somente a si mesmo. Ajudar a fazer nascer um dia azul, a brotar um sorriso no rosto, a florescer o amor. O amor sem objeto, aquele amor desprendido... O amor pelo mundo, incondicional.

"A vida só se dá pra quem se deu."

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir