domingo, 7 de março de 2010

Viver de Saudades



Morrer de saudades, muita gente sabe como é. O que pouca gente sabe é a sensação de viver de saudades. Morrer de saudades é ter aquele alguém, que se tem sempre por perto, distante por algum momento. Viver de saudades é aprender a conviver com aquela distância que não é temporária. Viver de saudades é saber exatamente como uma semana inteira demora a passar. É saber também que o sábado ao lado daquele alguém vai passar voando. Viver de saudades é aprender a lidar com o tempo.
É se intoxicar de felicidade uma vez na semana ou a cada quinze dias ou até mesmo uma vez ao mês, e administrar essa superdosagem para que dure até o próximo encontro. É tornar-se, mais do que nunca, adepto dos meios de comunicação. É controlar o ciúme e os medos. É entender o outro pelas frases, é aprender a comunicar-se sem o olhar. É aprender a amar sem tocar.
Viver de saudades nem sempre é fácil. É não ter um carinho na hora em que se precisa, é não ter a presença numa tarde chuvosa de segunda, é não ter aquele beijo tão desejado. Mas viver de saudades é muito mais que isso. É provar a si mesmo e ao outro que o amor é ainda maior: é superar o tempo, a saudade, a distância. É manejar o tempo e fazê-lo a seu favor. É encontrar no outro, mesmo distante quantos forem os quilômetros, uma ligação direta e imediata com seu coração. É ter certeza dos sentimentos, da sua intensidade e força. É poder sentir, mesmo por webcam, ser completo o tempo inteiro.


P.S.- por seis meses de inúmeros sessenta quilômetros que pouco importam na highway do nosso amor.

Um comentário:

  1. Sentimos saudades de tantas coisas... do tempo de criança e dos momentos que nos trouxeram felicidade. Da nosso primeiro amor, que nem sempre é a primeira namorada,mas daquela por quem sentimos verdadeiro amor, sentimos saudades de lugares, de pessoas e tantos outros ítens que nos fizeram felizes. Mas, a saudade daqueles que se foram para sempre é a mais doída, pois sabemos com certeza que não os veremos mais... eu sinto esta espécie de saudade de meu pai e de minha mãe e meu irmão que foram tão bons para mim, e morreram, e eu sei que não os verei mais... e , só Deus pode fazer alguma coisa e neste momento, peço a Ele, que me ajude e a tantos outros a aliviar a dor desta saudade.A Gabriela colocou tão bem o assunto, que me levou a tecer este comentário. A ela, muito obrigado.

    ResponderExcluir