terça-feira, 1 de novembro de 2016

De outro tempo

Foi que a cortina fechou, então... o tempo parou
E nada mais O que fazer com as sobras desse amor tão fugaz? E as consequências do nosso enlace se desdobraram Dançaram e giraram no que restou de nós Nesse mundo de preto e branco,
Desse tempo de viver do recordar... Sabe... é que quando eu ando nas tuas ruas, me lembro das coisas tuas
E da tua mão na minha a encostar E eu que sempre quis mais sem que pudesses me dar Peguei tudo que não unia, o que já ruía E não tinha vontade de ser e... joguei de volta pra você E sem saber o porquê, você insistiu pro nosso amor voltar praquele mesmo lugar
de onde partira Mas quem partiu fui eu, e o que restou, ficou e se refez,
E porque assim havia de ser,
Se fez sem você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário